Quero ser Akeloo

O Guia dos Dividendos: o que são, como funcionam e como viver deles

Aprenda tudo que importa sobre dividendos e transforme a sua vida de investidor com esses proventos!

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 30/09/2020 às 11h08

O Guia dos Dividendos: o que são, como funcionam e como viver deles

Você já deve ter ouvido falar em dividendos, não é mesmo? O termo é muito buscado por quem investe na Bolsa de Valores. Muitos sonham em viver da renda proveniente deles, enquanto outros os utilizam como adicional financeiro. Mas esse assunto ainda gera muitas dúvidas e para alguns pode parecer um bicho de sete cabeças… 

Não se preocupe! Nesse artigo da Akeloo, você vai descobrir:

  • o que são dividendos
  • quais são os principais tipos de dividendos
  • como funcionam os pagamentos de dividendos
  • como funciona a tributação em dividendos
  • agenda de dividendos
  • como identificar boas empresas pagadoras de dividendos (2020)
  • como montar sua carteira de dividendos? 
  • é possível viver de dividendos? 
  • viver de dividendos é para todo mundo? 

O que são dividendos?

Vamos começar do começo! Os dividendos são uma parcela do lucro de uma empresa, distribuídos a seus acionistas como forma de remuneração. Empresas de capital aberto, ou seja, empresas listadas na B3, são obrigadas por lei a distribuírem ao menos 25% de seus lucros líquidos com os acionistas. Sabia disso? A determinação é antiga e vem da Lei nº 6.404, de 1976. Isso significa que quanto mais ações você tiver de determinada empresa, maior será sua participação nos lucros. 

Quais são os principais tipos de dividendos? 

Existem alguns tipos de pagamento de remuneração. Dica Akeloo: é importante que o investidor fique atento na hora de montar sua carteira de dividendos, pois alguns tipos de dividendos não estão isentos de tributação. Caso não preste atenção, juros e multas podem ser incididos sobre o valor. 

  • Dividendos especiais

Também chamados de dividendos one-time, os dividendos especiais acontecem quando há algum evento extraordinário na empresa que leva a um maior pagamento para os acionistas. Essa situação pode acontecer, por exemplo, quando uma empresa fecha o mês com lucros inesperados e decide compartilhar o valor com os acionistas. Mudanças na regulamentação também podem ocasionar em um maior compartilhamento de dividendos pontuais. 

  • Juros sobre Capital Próprio

O Juros sobre Capital Próprio (ou JCP) é uma modalidade semelhante de dividendos. A diferença é que ele traz alterações na contabilidade da empresa e, por isso, não garante isenção  de impostos. Quem receber JCP terá 15% de seu lucro tributado pelo Imposto de Renda Retido na Fonte. A empresa pagadora de JCP possui isenção fiscal, por isso pode vir a distribuir mais proventos dessa modalidade. Vale a pena ficar atento(a)! 

  • Bonificação

A bonificação, como o nome já fala, é um bônus. É um pagamento extra, feito na forma de ações na conta de acionistas que já receberam proventos. A conta é feita proporcionalmente com o número de ações que o acionista já possui em sua carteira.  

  • Direitos de subscrição

Os direitos de subscrição, apesar de não serem distribuídos e sim vendidos, são também considerados uma forma de dividendos. Eles são regulamentados pela lei 6.404, capítulo VI, que prevê o direito de subscrever ações do capital social da empresa emissora. Não entendeu nada? Na prática, os direitos de subscrição funcionam da seguinte maneira: quando uma empresa decide distribuir mais ações de seu capital, ela pode dar preferência aos acionistas para que eles comprem os títulos antes da distribuição no mercado para que eles mantenham a porcentagem de ações compradas da empresa. Essa é uma prática extremamente vantajosa para o acionista, já que muitas vezes as ações são vendidas por um preço menor do que ao ir para o mercado. Os direitos de subscrição também funcionam para fundos imobiliários. 

Como os dividendos são calculados? 

O cálculo dos dividendos não é feito sempre da mesma maneira, assim como a distribuição. Continue lendo para entender como tirar vantagem dos proventos! 

  • Valor por ação

 A distribuição dos dividendos pode ser calculada conforme a quantidade de ações que cada acionista já possui, buscando um pagamento justo.

  • Valor por porcentagem

Outra maneira de calcular a distribuição dos dividendos é por porcentagem da ação. A empresa pode definir em assembleia que o valor pago será relativo ao preço atual da ação. Dessa maneira, uma ação que custe R$40,00 pode ter 5% de dividendos pagos. Nesse caso, o valor do dividendo será de R$2,00. 

Distribuição de dividendos 

A distribuição também pode variar. O valor pode ser recebido em dinheiro ou em novas ações da mesma empresa. A partir do recebimento, os acionistas podem decidir comprar novas ações ou utilizar o dinheiro para qualquer outro objetivo. 

 O pagamento, feito por meio das corretoras, também pode ser feito mensalmente, a cada 6 meses ou uma vez ao ano. O importante é que o pagamento deve ser regular e seguido de acordo com a política da companhia. 

Por que as empresas pagam dividendos? 

Além da lei que regulamenta a distribuição em Bolsa de Valores, já mencionada acima, precisamos entender porque é bom para uma empresa que ela seja considerada uma boa pagadora de dividendos.

Se você está lendo esse texto, provavelmente tem interesse em adquirir proventos vindos de suas ações, não é mesmo? Dessa maneira, ao avaliar um novo título para sua carteira, é possível que você avalie também o histórico de pagamento da empresa. 

A verdade é que os os dividendos atraem investidores, e consequentemente, valorizam os ativos da empresa. Empresas que remuneram seus acionistas regularmente são, geralmente, empresas estáveis, que atravessam crises e continuam lucrando. 

É por isso que é tão interessante para o investidor aplicar seu dinheiro em empresas boas pagadoras. Além de receber uma remuneração mensal, sua carteira tende a estar mais protegida do risco. 

A distribuição de proventos é vantajosa para os dois lados. A empresa vê seus ativos se valorizarem pela provável alta procura por eles, e os investidores conseguem uma renda extra. Existem, inclusive, aqueles que vivem apenas do dinheiro distribuídos pelas empresas na B3. Já ouviu falar de quem vive de dividendos? Esse é um sonho de muita gente atualmente, mas não é para todos. Continue lendo para descobrir se você tem o perfil para viver de dividendos e como começar! 

Tributação em dividendos

Você já sabe que aqui na Akeloo somos experts em tributação em renda variável. É por isso que fazemos questão de te alertar sempre sobre como funcionam os impostos em cada investimento. Não seria diferente com os dividendos!

Atualmente, os dividendos são isentos de tributação. O único caso em que o imposto cai nas mãos do acionista é, como já explicamos acima, nos Juros sobre Capital Próprio. A isenção começou a ser aplicada com uma mudança na regulamentação em 1996, sob o governo de Fernando Henrique Cardoso. 

Parece, porém, que esse regime esteja em seus últimos dias. Em agosto de 2020, Paulo Guedes, o ministro da economia e parlamentares do Congresso demonstraram interesse em incluir a tributação de dividendos na nova reforma tributária. A taxa seria de 15%. 

Ainda é cedo para dizer o que vem por aí, mas é certo que estar atento aos rumos políticos e econômicos do país faz toda a diferença em seus rendimentos e em sua carteira de investimentos. 

Agenda de dividendos

Para se tornar acionista de empresas que pagam dividendos, é importante conhecer alguns termos que serão úteis em seu cotidiano e guiarão seu calendário de investimentos. Caso você não os conheça, a confusão pode ser maior. Vamos lá?

1. Anúncio

A data de anúncio ou data de declaração é a data em que uma empresa avisa aos acionistas que os pagamento dos proventos será realizado. É quando o acionista descobre o valor da remuneração e a data em que isso acontecerá. 

2. Data de registro 

A data de registro é enviada pela empresa como a o dia em que vai registrar todos os acionistas que vão receber dividendos e receber outras informações, como relatórios financeiros. 

3.Pagamento

A data de pagamento é clara: é quando os dividendos de fato serão distribuídos aos acionistas. 

4.Data Ex

Há também a data Ex, que dirá quem deve ser pago. Os acionistas pagos serão aqueles que possuírem posição aberta na data. Por exemplo: 

Se o anúncio diz que a Data ex é 10 de outubro e a Data de Pagamento, 10 de novembro, isso significa que quem possui posições abertas no dia 10 de outubro será pago no dia 10 de novembro. 

Como identificar empresas boas pagadoras de dividendos (2020) 

Agora que você já sabe o que são dividendos, é hora de começar a montar sua carteira. Dica Akeloo: já te explicamos que os pagamentos podem ser feitos mensalmente, trimestralmente, semestralmente ou anualmente. Para montar uma boa carteira, é interessante incluir ações de empresas que pagam regularmente, para sempre se manter sempre recebendo proventos. 

Mas vamos ao que interessa. Como identificar boas empresas pagadoras de dividendos? Você já sabe que essas são as empresas estáveis, que estão frequentemente dando lucro. Exemplos são empresas geradoras de energia, como a Petrobras. Outro ramo que frequentemente está lucrando é o ramo financeiro – você pode encontrar boas empresas pagadoras de dividendos em bancos, como no Itaú e Banco do Brasil.  

A dica é avaliar o cenário brasileiro como um todo e prestar atenção em quais empresas se destacam. Mas há uma maneira tecnicamente mais segura de escolher as empresas de sua carteira, e é isso que vamos te ensinar agora. 

Como montar sua carteira de dividendos? 

Para montar uma carteira de sucesso, você precisa conhecer o Dividend Yield. Ele é um indicador que mostra quais empresas são boas pagadoras de dividendos. Antes de aplicar seu dinheiro, teste os lucros da companhia com esse indicador. 

A fórmula para o cálculo é: 

Dividend Yield = dividendos anuais (pagos por ação)/cotação atual da ação 

Conhecendo os resultados da fórmula, você consegue entender se as finanças da empresa vão bem ou mal e entender o retorno esperado para seus dividendos. 

Outro indicador a se ter em mente é o Dividend Payout, que define a porcentagem do lucro que será pago aos investidores. Para calculá-lo, é simples:

Dividend Payout = dividendos distribuídos/lucro líquido

Como avaliar sua carteira de dividendos? 

Depois de montar sua carteira, recomendamos que você avalie sua estratégia regularmente. Uma maneira de fazer isso é se guiar pelo IDIV, o Índice de Dividendos. Ele é um indicador de desempenho médio dos ativos que compõem a carteira, assim como o IBOVESPA. No caso do IDIV, os ativos que compõem a carteira são os que melhor remuneram os investidores. 

Perceba se o desempenho de seus ativos segue as tendências de crescimento e declínio do IDIV. Se sim, são grandes as chances de que você tenha feito escolhas estratégicas e não há nada com o que se preocupar. Caso contrário, considere fazer ajustes em sua carteira, visando um melhor desempenho. 

É possível viver de dividendos? 

A pergunta de um milhão de reais! Quem não gostaria de viver de rendimentos? Enquanto você dorme, o salário rende “magicamente”… É possível, sim, viver de dividendos. Mas não é uma tarefa simples e definitivamente não é indicada para quem está iniciando agora nesse universo. 

O que é preciso para viver de dividendos? 

Para viver desses proventos, antes de mais nada, saiba que você precisará de uma estratégia de sucesso e de revisar essa estratégia frequentemente. Para isso, você deve:

  • planejar a longo prazo
  • analisar a saúde da empresa
  • diversifique
  • tenha claro seus objetivos

Viver de dividendos é para todo mundo?

Nenhuma estratégia é para todo mundo. Antes de considerar tomar qualquer decisão financeira, você deve ter em mente seu perfil de investidor, seus objetivos financeiros e sua tolerância ao risco, além de sua disponibilidade de tempo para se dedicar à sua estratégia. 

É possível que, após considerar tudo isso, você decida que viver de dividendos não é para você. Caso decida que quer construir uma vida com os frutos de seus proventos, você já tomou um bom primeiro passo lendo esse artigo da Akeloo! 

Conclusão

Os dividendos são uma ótima forma de remuneração para quem investe na Bolsa de Valores. É possível receber proventos mensalmente de empresas sólidas e lucrativas, e isso por si só já é ótimo. Para viver deles, você deve montar um planejamento a longo prazo e diversificar sua carteira. Aprenda mais no Instagram da Akeloo!