Quero ser Akeloo

Indicadores do mercado financeiro: como eles impactam seus investimentos

Os índices de investimento são importantes termômetros do mercado. Se você ainda não os conhece, pode estar perdendo dinheiro. Saiba mais!

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 24/09/2020 às 17h00

Indicadores do mercado financeiro: como eles impactam seus investimentos

Escolher os melhores investimentos para compor a sua carteira é uma tarefa complexa, que exige autoconhecimento e conhecimento de mercado. Antes de aplicar seu dinheiro, é preciso entender a estimativa de performance para tal ativo, e, dessa maneira, conseguir aliar o novo produto em sua carteira de investimentos. Os indicadores do mercado financeiro podem te ajudar nessa tarefa. Eles funcionam como verdadeiros termômetros para seus investimentos. Não entendeu? Sem problemas, a Akeloo te explica!

Nesse artigo, você vai aprender:

  • o que são indicadores de mercado
  • por que os indicadores de mercado são importantes para sua estratégia
  • quais são os principais indicadores do mercado financeiro
  • quais são os principais índices de renda fixa
  • quais são os principais índices de renda variável
  • como criar uma estratégia de investimentos usando os índices como ferramenta

O que são indicadores de mercado?

Os indicadores de mercado são indicadores que atuam no mercado financeiro fornecendo pistas. São um conjunto de dados, que ao serem sistematizados, refletem a situação atual do país e podem dar indícios do futuro econômico, político e até social do país.

Esses índices são apurados por órgãos governamentais ou por instituições com alta credibilidade, que usam metodologia científica para determinar o resultado final. Podem ser gerais, refletindo a situação atual do país ou específicos para cada classe de ativos, funcionando como indicadores de desempenho. Por esse motivo, é importante conhecê-los e identificar os indicadores que você deve acompanhar, de acordo com os investimentos que pretende fazer.

Por que os indicadores de mercado são importantes para a sua estratégica?

Quem investe, investe querendo que o dinheiro cresça, não é mesmo? E para garantir que os ativos performarão de acordo com suas expectativas, é importante se basear em mais do que apenas esperanças.

É para isso que servem os indicadores de mercado. Cada indicador é calculado pelo órgão responsável, e, funcionando como termômetro, ajuda a entender se o ativo tende a se valorizar ou não. Os indicadores também permitem a identificação de mercados e auxiliam no reconhecimento dos melhores momentos econômicos, permitindo uma tomada de decisões mais responsável. Você pode usar os índices para prever cenários do capital, entendendo tendências de crise ou aceleração.

Na sua estratégia de investimentos, além de analisar opções de investimentos para escolher o melhor de acordo com seu perfil de investidor e momento atual, os indicadores também servem de referência para analisar a performance do ativo, à medida que valorizam ou desvalorizam. Utilize os dados fornecidos para comparar os seus resultados ao de índices com características similares.

Quais são os principais indicadores do mercado financeiro?

Além de índices de investimento específicos para renda fixa ou renda variável, existem também os indicadores mais gerais, que dão pistas do crescimento econômico do país. Conheça todos eles e acostume-se à acompanhá-los!

1- PIB

Temos certeza que você conhece esse. O PIB, ou Produto Interno Bruto, é a soma de todos os valores monetários produzidos pelo país, em bens e serviços. Na conta, não entram serviços não remunerados e atividades informais. Com o resultado, é possível determinar se a economia do país está aquecida. O contrário também é verdadeiro – um PIB em queda por dois trimestres consecutivos indica recessão. A partir do terceiro trimestre em queda o país já é considerado em crise.

O PIB é um dos principais indicadores econômicos no Brasil. Antes de tomar qualquer decisão financeira, entenda qual é a situação atual do país e evite perder dinheiro com uma situação econômica instável.

2- IPCA

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) é um índice medido mensalmente pelo IBGE e reflete a variação dos preços no comércio para o consumidor final. Nessa conta são incluídos gastos em alimentação, despesas pessoais, educação, moradia e saúde. O IPCA é o índice oficial da inflação no país e mostra o custo de vida de famílias das principais cidades com Brasil com renda entre 1 e 40 salários mínimos. O cálculo, além de útil para identificar se a inflação está dentro da meta estipulada pelo governo, também interfere no rendimento de alguns investimentos de renda fixa, como Tesouro Direto, LCI e LCA. Dica Akeloo: seus ativos devem sempre render mais do que a inflação. Caso contrário, você estará perdendo poder de compra, mesmo com rentabilidade positiva.

3. INPC

Apesar do IPCA ser o principal indicador do mercado financeiro que calcula a inflação, ele não é o único. Existem outros indicadores, cada um responsável pelo cálculo da variação em um determinado setor de produtos e o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), também medido pelo IBGE, mostra a variação no setor do varejo. Outra diferença do INPC para o IPCA é que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor foca em famílias que recebem até 5 salários mínimos. Por esse motivo, a variação de preços calculada pelo INPC é sentida em no setor de consumo básico, como no transporte público e em alimentos de uso diário, como arroz, feijão, leite e farinha.

Por refletir o poder de compra da parcela mais pobre da população, o INPC é importante também para reajustes salariais. A pobreza no Brasil tem aumentado – no final de 2019 já eram 13,5 milhões de pessoas vivendo em situação de miséria e o número promete aumentar ainda mais com as consequências da crise do coronavírus em 2020.

4. IGP- M

Outro indicador econômico que registra a inflação é o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), calculado pela Fundação Getúlio Vargas. O índice registra a inflação de preços de bens de consumo e de produção e é uma versão do Índice Geral de Preços (IGP). O cálculo é feito com a junção do Índice de Preços por Atacado – Mercado (IPA-M), Índice de Preços ao Consumidor – Mercado (IPC-M) e Índice Nacional do Custo da Construção (INCC-M).

5. Taxa Selic

Você já conhece a Taxa Selic? A Taxa do Sistema Especial de Liquidação e Custódia do país é um dos indicadores econômicos mais importantes atualmente, pois representa a taxa básica de juros do país. A Selic influencia todas as taxas de juros, como juros de empréstimos, financiamentos e aplicações financeiras. É calculada pelo Banco Central no Copom a cada 45 dias e é usada para tentar controlar a inflação do país, já que o crescimento ou queda nos juros afeta o consumo da população.

A Taxa Selic também afeta (e muito!) os seus investimentos, principalmente em renda fixa. Isso acontece porque ativos de renda fixa são atrelados à Selic, o que interfere no rendimento desses produtos. Com a Selic em alta os investidores tendem a alocar mais dinheiro na renda fixa, já que a rentabilidade fica maior. Já com a taxa em queda, a tendência é que a renda variável se torne mais popular e os investidores migrem para a renda variável, na expectativa de conseguirem lucros maiores.

Atualmente a taxa está em seu patamar mais baixo historicamente (2,25% ao ano). Veja abaixo a evolução da Taxa Selic ao longo dos anos e conte para gente nos comentários: com a Selic em baixa, em quais ativos você pretende investir?

6. Dólar

Sim, o dólar também é um indicador econômico! As oscilações do câmbio (definidas pela lei de oferta e demanda e não por um cálculo feito pelo estado) afetam diretamente na inflação brasileira e no preço de produtos exportados. É o caso do preço do barril de gasolina, de eletrônicos e até de produtos cosméticos. Além disso, a alta do dólar também afeta investimentos estrangeiros no Brasil e o turismo nacional, enquanto a baixa incentiva o turismo internacional.

As oscilações da moeda norte americana também dizem respeito à desvalorização da moeda brasileira, e na hora de investir é essencial acompanhar a performance do real e da economia brasileira frente aos mercados estrangeiros.

Quais são os principais índices de renda fixa que você deve conhecer?

Os indicadores econômicos que falamos acima são super importantes para a economia do Brasil em geral. Por isso, é claro que eles afetam também o resultado de seus investimentos – alguns mais diretamente do que outros, como é o caso da Taxa Selic. Para investir de maneira responsável, o ideal é que você analise o cenário econômico do país como um todo – essa atitude vai ampliar sua visão e facilitar muito na construção de sua estratégia.

Mas existem alguns índices específicos para te orientar melhor. Você vai descobrir agora quais são os índices de renda fixa que mais afetam os seus rendimentos. Continue lendo!

1. CDI

O CDI, ou Certificado de Depósito Interbancário, é uma transação diária entre bancos para que eles mantenham o caixa sempre positivo. A Taxa CDI (também conhecida como Taxa DI) é a taxa de juros incididos sobre esse empréstimo financeiros e determina o rendimento de diversos produtos de renda fixa. É por isso que é possível encontrar, em vários investimentos, a informação de rendimento atrelada ao CDI (“rende 100% do CDI”, por exemplo) e é por isso que o valor da Taxa CDI é tão importante para suas aplicações em renda fixa.

2. IMA

O Índice de Mercado Anbima é um conjunto de índices calculados diariamente que representam a rentabilidade de títulos públicos no Brasil. O IMA é composto por sub índices que refletem cada tipo de título público de renda fixa. Se for investir em renda fixa, atente-se para oscilações nesse conjunto de índices.

3. IMA-B

O IMA-B, sub índice de mercado da ANBIMA, reflete títulos de renda fixa atrelados à inflação. acompanha títulos de renda fixa atrelados à inflação. Por isso, se for comprar títulos de renda fixa atrelados à inflação (um bom exemplo é o Tesouro Direto IPCA), acompanhe o IMA-B. O IMA-B pode ser também IMA-B 5, com títulos com prazo de vencimento em até 5 anos, e o IMA-B 5+, com títulos com prazo de vencimento em 5 anos ou mais.

4. IMA-S

Outro índice participante do IMA é o IMA-S, que representa títulos de renda fixa pós fixados pela taxa Selic. Por esse motivo, se seu interesse for adquirir títulos de renda fixa atrelados à Selic, acostume-se a acompanhar o IMA-S.

5. IRF-M

O Índice de Renda Fixa do Mercado (IRF-M) é um indicador que se relaciona diretamente com títulos de renda fixa prefixados que funciona para títulos. O IRF-M também contém dois subíndices, o IRF-M, com títulos com prazo de vencimento em até um ano, e o IRF-M 1+, com títulos com vencimento acima de um ano.

Quais são os principais indicadores de renda variável?

Acha que acabou por aí? Existem também os índices de renda variável, que refletem o mercado na Bolsa de Valores e são muito úteis para o investidor. Conheça os principais indicadores do mercado financeiro em renda variável e nos conte nos comentários ou em nosso perfil no Instagram: você já costuma acompanhá-los na hora de investir?

1. Ibovespa

O Índice Bovespa, IBOV ou Ibovespa é muito conhecido por quem investe em renda variável. Ele é o principal índice para acompanhar e entender as variações na B3, a Bolsa de Valores brasileira. É composto pelas principais ações negociadas na Bolsa e sua carteira é baseada na liquidez desses ativos.

A alta do índice é vista com bons olhos pelos acionistas, pois reflete alta nas principais ações negociadas na Bolsa. O contrário também acontece: quedas no Ibovespa indicam desconfiança do mercado financeiro e podem preocupar os acionistas.

Em 2019, o Ibovespa se valorizou 31,58% e trouxe empolgação aos investidores. Em 2020, o Ibovespa refletiu a crise e despencou. Consegue perceber como ele reflete o momento econômico vivido pelo Brasil? O utilize também para avaliar o rendimento de sua carteira de ações: a valorização de suas ações acompanhar a do Ibovespa é um sinal de que você está no caminho certo.

2. IBrX

Outro dos principais indicadores do mercado financeiro para avaliar na hora de investir em renda variável é o IBrX, também chamado de Índice Brasil. Ele é composto pelas ações das principais 100 companhias da Bolsa de Valores e, por esse motivo, também deve ser acompanhado, juntamente com o Ibovespa.

3. IBrX50

Assim como o IBrX, o IBrX50 faz parte do Índice Brasil. A diferença é que o segundo é composto pelas 50 principais ações. Dica Akeloo: em vez de selecionar apenas um deles para acompanhar, acompanhe os três em paralelo. Vai ser mais fácil perceber oscilações e as diferenças entre cada performance.

4. IDIV

Esse é para quem sonha em viver de dividendos. Você também? Então acompanhe o Índice de Dividendos, ou IDIV. Compõem o IDIV ações que se destacam na remuneração de dividendos aos investidores. Acompanhar o IDIV é estratégico, mesmo para quem não pretende viver de dividendos. É sempre interessante apostar em empresas que costumam recompensar os acionistas com parcelas do lucro empresarial. Dessa maneira, você ainda pode se proteger do risco das oscilações na hora de investir.

5. SMLL

O Índice de Small Caps (SMLL) é um índice teórico de retorno total, composto por empresas de menor capitalização, mas que podem representar excelentes oportunidades para os investidores. As Small Caps são ótimos negócios, já que podem crescer rapidamente e ter menor demanda (ou seja, são mais baratas) do que as empresas tradicionais na Bolsa (chamadas de Blue Chips). Apesar disso, justamente por não serem ainda tão sólidas, podem ser um risco – elas podem simplesmente não se valorizar e a liquidez ser menor.

Conclusão

Ufa! São muitos os indicadores do mercado financeiro e os índices de renda fixa e variável que afetam o retorno de seus investimentos. Na prática, são muitos os fatores que interferem no lucro de um ativo, assim como são muitos os fatores que contribuem para uma crise ou aceleração econômica. O importante aqui é entender que, para investir, não basta seguir recomendações de terceiros ou comprar produtos financeiros sem se informar, já que a chance de não devolver o retorno que você espera é grande. Acostume-se a acompanhar os principais indicadores do mercado e descubra a diferença que eles podem fazer em sua estratégia e em seu lucro. Queremos que você lucre cada vez mais, por isso nos conte aqui: esse artigo foi útil para você?