Guia da Renda Variável

Tudo que você sempre quis saber sobre renda variável mas não sabia onde perguntar!

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 6/09/2020 às 17h00

Guia da Renda Variável

Quem nunca ouviu falar sobre renda variável? A modalidade é popular entre os investidores, que enxergam nela uma oportunidade de alcançar alta rentabilidade, principalmente no cenário atual, em que a renda fixa não está mais tão vantajosa quanto no passado. 

Mas dinheiro não cai do céu, e, para ter sucesso na renda variável é preciso conhecimento. Investir sem saber o que está fazendo é a maneira mais rápida de perder dinheiro. Foi pensando nisso que a Akeloo resolveu preparar este guia da renda variável. Aqui, você vai aprender:

  • o que é renda variável
  • quais são os principais ativos de renda variável
  • renda fixa x renda variável
  • riscos na renda variável
  • análise técnica x análise fundamentalista
  • custos e taxas investir em renda variável
  • vantagens x desvantagens da renda variável
  • como investir em renda variável 

Esse artigo servirá de auxílio ao longo de toda a sua jornada pela renda variável. Se necessário, volte sempre que tiver dúvidas. Se prepare para começar a aprender e transformar sua relação com os investimentos! 

O que é renda variável?

Renda variável é a modalidade de investimentos em que a rentabilidade não é conhecida previamente – como o nome diz, é variável. Não há, portanto, taxa de rendimento fixa e não é tão fácil prever a lucratividade obtida.

Isso acontece porque, na renda variável, os ativos estão sujeitos à volatilidade de mercado. As ações da Bolsa, por exemplo, oscilam de acordo com o mercado. É por esse motivo que muitas pessoas temem investir em renda variável, mas, caso você queira começar a investir na modalidade, saiba que todos os investimentos envolvem algum tipo de risco. O melhor a fazer não é abandonar a possibilidade de altos lucros, mas sim buscar conhecimento para gerenciar e administrar melhor os riscos provenientes dos investimentos. 

Quais são os principais ativos de renda variável? 

As ações são grandes conhecidas da renda variável, mas não são as únicas! Os títulos de renda variável são títulos emitidos por empresas e instituições para captar recursos. Confira quais são os principais investimentos de renda variável: 

  • Ações 

Que as ações são famosas você já sabe. Mas o que são, na verdade, esses ativos de renda variável? Uma ação é a menor parte de uma empresa, negociada na Bolsa de Valores. Isso significa que ao comprar uma ação você compra um pedacinho de uma companhia e se torna sócio dela. Isso mesmo! As ações podem ser ordinárias ou preferenciais, e com elas você pode ter direito de voto em em assembleias e receber dividendos (parte dos lucros de uma empresa, distribuídas aos acionistas como forma de remuneração). 

  • Opções

As opções são maneiras de negociar um lote de ações por um preço fixado previamente. Na prática, é um mercado de derivativos, onde você pode negociar os direitos de compra e venda de um lote antes de de fato comprá-las. É uma maneira de se proteger das oscilações No mercado de opções é possível fazer hedge ou alavancagem. 

  • Commodities

As commodities são matérias primas com baixo nível de industrialização que podem ser estocadas sem perda da qualidade do produto. Podem ser commodities agrícolas, minerais, de recursos energéticos e até financeiras. Exemplos são o trigo, soja, ouro, petróleo e o etanol. Mas como o trigo pode ser um ativo? Por serem essenciais para o desenvolvimento e sobrevivência de vários países, esses produtos precisam ser negociados em grande escala e globalmente, e os preços oscilam de acordo com oferta e demanda. 

Por isso, é possível negociar commodities na Bolsa de Valores. Mas atenção: todas as negociações são feitas no mercado futuro. Ao comprar soja, você não receberá os pacotes em sua casa, mas sim o retorno financeiro esperado no prazo combinado!  

  • ETF

O Exchange Traded Fund é um fundo de ações que têm como referência um índice da Bolsa de Valores, tal como o Ibovespa. O objetivo do ETF é atingir rendimentos iguais ou maiores do que o do indicador selecionado, e para isso um gestor deve acompanhar o mercado diariamente e alterar a composição do fundo caso necessário. 

  • Câmbio

É possível investir em dólar! Além da possibilidade de trazer retornos expressivos, o câmbio também pode ser usado como proteção da carteira. É possível investir por meio de contratos cheios ou mini contratos. Saiba mais sobre a negociação aqui. 

  • Fundos Imobiliários

Os fundos imobiliários (FIIs) são investimentos em renda variável populares por sua praticidade. São oportunidades de investir em imóveis sem ter que comprar o preço cheio de um imóvel. Nesse caso, um grupo de pessoas se une para investir em ativos imobiliários. Assim como nos ETFs, os fundos imobiliários contam com um gestor, responsável por administrar os ativos que compõem o fundo e garantir uma boa rentabilidade frente ao mercado. 

Renda fixa x renda variável 

Você já sabe o que é renda variável e quais são os principais ativos disponíveis nessa modalidade. Antes de investir, entretanto, você deve entender quais são as diferenças entre renda fixa e renda variável, para conseguir escolher com cautela. 

A primeira Dica Akeloo é entender qual é o seu perfil de investidor (não fez o teste ainda? faça aqui!). Autoconhecimento é o primeiro passo para o sucesso, e entender quais são os seus objetivos com os investimentos e qual o seu nível de tolerância ao risco pautará a composição da sua carteira. 

Agora que você já sabe qual é o seu perfil de investidor, já deve ter em mente quais são os seus objetivos com os investimentos. Saiba, então, que a principal diferença entre a renda fixa e a renda variável é a rentabilidade. Nos títulos de renda fixa a rentabilidade, como o nome já diz, é fixa, e pode ser previamente conhecida. O mesmo não é possível na renda variável, como explicamos acima. 

Os retornos, entretanto, também diferem. É geralmente mais fácil obter retornos expressivos com os investimentos em renda variável, que oferecem ao investidor a chance de lucrar muito. Alta lucratividade, contudo, não é tão comum em ativos de renda fixa, principalmente após a queda da Selic.  Mas atenção: caso você não saiba o que está fazendo, as chances de perder dinheiro são proporcionais às altas chances de retornos expressivos. 

Outra diferença é o destino do dinheiro. Investir em renda fixa é emprestar seu dinheiro a alguém, seja ao governo, seja para empresas privadas, enquanto investir em renda variável é, geralmente, se tornar sócio detentor de algum direito (retorno, dividendos, voto). Para facilitar a compreensão, você pode conferir as diferenças entre renda fixa e renda variável com a ajuda deste infográfico. 

Caso queira saber mais sobre a renda fixa, confira o Guia da Renda fixa preparado pela Akeloo e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto. 

Riscos da renda variável

Investir em renda variável é mesmo tão arriscado quanto dizem? É possível perder dinheiro? Como lucrar com a renda variável, afinal?

Todo investimento tem risco, e a regra geral é que quanto maior o risco maior o potencial de retorno. É isso que faz muitos investidores se dedicarem a entender o mercado, em busca de prever o comportamento dos ativos e analisar o melhor momento de comprar ou vender. 

Além do risco de mercado e de liquidez, o investidor enfrenta outro risco: o risco do desconhecimento e da empolgação. Investir na Bolsa de Valores não é apostar! Existe muito estudo por trás de cada aplicação financeira e muitas pessoas dedicam suas vidas e carreiras a esse estudo. Por isso, fique atento e tome cuidado. A melhor maneira de se proteger contra o risco é estudando, e você pode fazer isso através do Blog da Akeloo. 

Outra maneira de se proteger é diversificando. Montar uma carteira de investimentos equilibrada, com parte dos recursos alocados em ativos de renda fixa e outra em renda variável é uma boa maneira de gerenciar seus lucros e minimizar possíveis riscos. 

Por que os ativos de renda variável oscilam? 

Mas afinal, por que os ativos de renda variável são tão voláteis, ou seja, enfrentam tantas oscilações? A regra geral é oferta e demanda. Quanto mais procurado é um ativo, mais ele se valorizará e seu preço subirá. Em contrapartida, quanto menos procurado é o ativo, mais ele se desvaloriza e seu preço cairá. O pulo do gato é entender os fatores envolvidos na oscilação. O cenário macroeconômico e político afeta e muito o preço dos ativos. Um exemplo: uma notícia positiva sobre o PIB ou sobre as contas públicas pode elevar os principais indicadores da Bolsa e demonstrar que o mercado está confiante sobre a situação do país. 

Lucrar na Bolsa de Valores basicamente significa comprar os ativos quando estão na baixa e vendê-lo após a valorização. Entender o melhor momento para a venda é o que faz os investidores se dedicarem tanto ao mercado e se debruçarem sobre análises financeiras. Vamos falar mais sobre elas para que você comece em sua jornada preparado. 

Análise técnica x análise fundamentalista 

Existem duas estratégias para entender as oscilações do mercado e desenhar uma carteira de investimentos de sucesso em ações. Entenda como funciona cada uma delas e aprenda a utilizá-las em seus estudos.

Análise fundamentalista

O nome da análise não tem nada a ver com radicalismos! A análise fundamentalista tem esse nome porque se baseia em fundamentos para definir a estratégia. É uma estratégia de longo prazo e avalia as demonstrações financeiras de uma empresa. Antes de decidir investir em determinada empresa, os fundamentalistas checam fluxo de caixa, balanço patrimonial e resultados.

Tudo isso é feito para tentar entender se a empresa está em fluxo ascendente ou descendente e se suas ações irão se valorizar. Além disso, a análise fundamentalista é utilizada para determinar se as ações estão com um preço considerado justo pelo mercado. Saiba mais sobre ela aqui. 

Análise técnica 

Já a análise técnica se baseia em gráficos (por isso, é também conhecida como análise grafista) para tentar entender os movimentos do mercado, o potencial de uma ação e suas oscilações ao longo do tempo. Os gráficos indicarão as tendências de oferta e demanda de determinada ação, o que é útil para entender se seu papel irá valorizar ou desvalorizar. A análise é de curto prazo e é muito utilizada por Day Traders, que precisam avaliar o desempenho de uma ação em um mesmo dia. 

análise técnica

Fonte: TradingView

Além das duas técnicas de análise, bastante utilizadas pelo mercado de ações, se você quer se dar bem na renda variável é preciso manter o hábito de estudar o mercado diariamente e se manter informado e atento sobre acontecimentos econômicos e políticos, já que eles podem impactar no desempenho de seus ativos. Essa é a chave para minimizar o risco na renda variável! 

Custos e taxas de investir em renda variável

Para investir você precisará de uma intermediária financeira, seja ela uma corretora ou um banco. Antes de escolher por onde vai investir, pesquise sobre as taxas cobradas. Elas podem ser de custódia, corretagem ou emolumentos (taxas cobradas pela B3 por operação). Calcule o impacto das taxas cobradas no resultado de seus investimentos. Muitas pessoas não levam esses dados em consideração antes de investir e depois se pegam às voltas com rendimentos aquém do esperado em virtude de taxas cobradas. 

imposto de renda

Fonte: Gazeta do Povo

Além das taxas, fique atento, pois você pode estar sujeito ao pagamento de tributos sobre seus investimentos, como o Imposto sobre Operação Financeira e o Imposto de Renda. Sabemos que esse assunto pode confundir mesmo os mais experientes e sonhamos com um relacionamento mais saudável com os impostos. Por isso, preparamos alguns materiais sobre o assunto. No nosso artigo “Principais impostos sobre investimentos” você vai entender mais sobre a tributação em investimentos, e no “Guia do Imposto de Renda na Bolsa” tirará todas as suas dúvidas sobre Imposto de Renda na Bolsa. Afinal, de que adianta lucrar e ficar irregular com a Receita Federal, não é mesmo? 

Mas não se preocupe! Apesar alguns investidores precisarem contribuir com o Imposto de Renda, os tributos não devem te impedir de investir em Renda Variável. Eles são uma maneira de controlar e retribuir ao Estado os lucros obtidos e podem ser positivos – com eles você pode gerenciar melhor a sua estratégia e entender atentamente quais são os rendimentos de cada ativo. É possível também pagar menos imposto legalmente com algumas dicas de expert: aprenda aqui. 

Vantagens x desvantagens da renda variável

Já percebeu que a renda variável pode ser um caminho de oportunidades muito lucrativas para você, não é? Antes de investir, entretanto, pese os prós e contras e descubra as vantagens e desvantagens da modalidade. 

Vantagens da renda variável

  • rentabilidade
  • muitas possibilidades de investimento
  • boas oportunidades a longo prazo
  • facilidade e praticidade na hora de investir 

Desvantagens da renda variável

  • riscos 
  • taxas e impostos
  • exige muito conhecimento

Como investir em renda variável

Aprender é muito importante, mas sem começar você não terá nenhum resultado. Se dedique continuamente aos estudos e siga o passo a passo abaixo para começar a investir em renda variável:

  • abra uma conta em uma corretora (se certifique de que ela atenderá as suas necessidades e esteja ciente das taxas cobradas)
  • escolha o produto de renda variável desejado (ações, opções, ouro, dólar, fundos imobiliários…)
  • aplique! 

Depois disso é só acompanhar seus ativos e fazer alterações pontuais em sua estratégia, caso necessário. 

Conclusão

Agora você está definitivamente preparado para investir em renda variável. Desejamos sucesso na jornada! Não se esqueça: o caminho mais rápido para o lucro é o conhecimento. Quer continuar aprendendo mais? Acompanhe o blog da Akeloo e descubra tudo o que o universo dos investimentos tem a te ensinar!