KYC é a abreviação de Know Your Customer (“Conheça seu cliente”), processo que refere-se à obrigação de uma instituição financeira verificar a identidade de quem usa sua plataforma, principalmente para fins de prevenção de lavagem de dinheiro, fraudes e combate ao terrorismo.

No universo das criptomoedas, essa política geralmente envolve a solicitação por parte das exchanges de uma identificação do usuário com foto, como passaporte ou carteira de motorista.

Além disso, é comum buscar mais informações como endereço residencial, data de aniversário, informações do seguro social e outras. Isso porque tais informações podem ser muito valiosas. Depois de recebê-las, as organizações geralmente verificam-nas em um banco de dados de indivíduos condenados por fraude e corrupção.

Atualmente, as exchanges de criptomoedas estão sob crescente pressão das autoridades governamentais para implementar o KYC, em meio a temores de que criminosos possam estar usando moedas digitais como meio manterem suas operações em anonimato. Afinal, algumas criptomoedas foram criadas prioritariamente com o propósito de manter suas transações privadas e anônimas, como é o caso de Monero, Zcash e outras.

Mas, vale ressaltar ainda que o KYC se extende muito além do universo das criptomoedas, sendo uma prática padrão no setor de investimentos em geral. Através dele os consultores financeiros acessam informações específicas sobre seus clientes, como tolerância ao risco, detalhes pessoais e posição financeira.

Dica da Akeloo: Muitas vezes o cálculo e apuração dos resultados para o Imposto de Renda sobre criptomoedas pode se tornar uma tarefa complexa e trabalhosa. Para ajudar nesse processo, a Akeloo oferece uma Calculadora de Imposto de Renda sobre operações de criptomoedas , que calcula de forma automatizada todos os valores que precisam ser preenchidos na declaração anual, além de calcular e gerar os DARF’s que precisam ser pagos. Clique aqui e saiba mais.

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.