O valor monetário ou recompensa que os investidores podem ganhar tornando seus tokens criptográficos acessíveis para empréstimos, levando em consideração as taxas de juros e quaisquer outras taxas que os mutuários devem pagar, é chamado de taxa percentual anual (APR – Annual Percentagem Rate). Atualmente, os usuários detentores de criptoativos são incentivados a depositá-los em diversas plataformas que oferecem-lhes uma alta taxa percentual anual (APR).

O APR não considera os juros compostos e flutuam significativamente com base no tipo de empréstimo ou na moeda emprestada.

Empréstimos fixos e flexíveis são os dois principais tipos de empréstimos oferecidos pelas exchanges e plataformas.

O empréstimo fixo é semelhante a um CDB bancário. Seu dinheiro fica “travado” por um período de tempo definido, geralmente de sete a noventa dias, a uma taxa fixa e que costuma beneficiar o depositante que não retira sua criptomoeda antes deste prazo (às vezes não é possível este resgate antecipado), pagando uma taxa de juros maior.

Já o empréstimo flexível funciona de maneira semelhante a uma conta poupança. Neste caso, você tem a opção de retirar sua criptomoeda a qualquer momento, mas com taxas de retorno normalmente mais baixas.

Essas modalidades de empréstimos fazem mais sentido para os investidores que pretendem permanecer com suas criptomoedas por muito tempo, pois, desta forma, podem aumentar suas posições de forma passiva.

Já para aqueles que têm uma perspectiva mais de curto prazo nesse mercado, há de se levar em conta sua alta volatilidade e risco de, mesmo com os juros ganhos nos empréstimos, ter perdas financeiras consideráveis em quedas abruptas das cotações dos criptoativos.

Dica da Akeloo: Muitas vezes o cálculo e apuração dos resultados para o Imposto de Renda sobre criptomoedas pode se tornar uma tarefa complexa e trabalhosa. Para ajudar nesse processo, a Akeloo oferece uma Calculadora de Imposto de Renda sobre operações de criptomoedas , que calcula de forma automatizada todos os valores que precisam ser preenchidos na declaração anual, além de calcular e gerar os DARF’s que precisam ser pagos. Clique aqui e saiba mais.

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.