Calculadora de IR em Bolsa
TESTE GRÁTIS
Início » Mercado Financeiro » Como o Open Finance afeta os investimentos e o IR

Como o Open Finance afeta os investimentos e o IR

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 23/08/2021 às 18h17

Compartilhe

Como o Open Finance afeta os investimentos e o IR

Entenda como o Open Finance impacta os seus investimentos e o seu cálculo de imposto de renda. 

Imagine um cenário onde você tenha total controle sobre sua vida financeira: empréstimos, financiamentos, extratos, investimentos, tudo centralizado em um só lugar. Onde você também possa levar suas informações financeiras para onde quiser- e se quiser. Se você já sabe o conceito do Open Finance mas quer entender como interfere em seu dia a dia, esse artigo é para você.

Nele você vai ler:

  • Resumo de Open Finance
  • Como pode impactar os clientes
  • Como pode interferir em seus investimentos

Relembrando o Conceito de Open Finance

Open Finance ou Sistema Financeiro Aberto, é o compartilhamento padronizado de dados sobre produtos, informações financeiras e serviços pelas instituições autorizadas pelo Banco Central. É também a evolução do Open Banking, uma vez que engloba também seguradoras, fintechs, corretoras, fundos, etc, além das instituições bancárias previstas inicialmente no projeto. Ao longo da sua implantação, a intenção é que corretoras, companhias de câmbio, fundo de previdência, fundo de pensão e plataformas de investimento sejam também incluídos.

De forma simplificada: o objetivo é permitir a conexão entre as instituições financeiras, de forma que o cliente consiga acessar todo o seu histórico financeiro de uma empresa e levar para onde quiser, sem precisar abrir uma conta do zero em uma nova instituição financeira. E o melhor, sem burocracias.

Por que é importante para os clientes

  • O processo de compartilhamento de informações ganha agilidade;
  • Eles recebem ofertas e informações personalizadas;
  • Como cliente de uma determinada instituição financeira, terá mais liberdade de adquirir produtos e serviços de outras instituições financeiras;
  • Não ficarão mais restritos somente ao banco que têm conta;
  • Trânsito livre entre aplicativos financeiros, tornando o acompanhamento e a educação financeira cada vez mais acessível.

Por que é interessante para as instituições financeiras:

  • Estimula a concorrência democratizando as informações dos clientes
  • Gera ofertas e serviços cada vez melhores
  • A consolidação das informações permite analisar e sugerir soluções para os clientes.
  • Poderão desenvolver produtos mais customizados, pensado em diferentes perfis de consumidores e, consequentemente, abordar os investidores e clientes de forma mais eficiente.
  • Pé de igualdade: todos terão acesso às mesmas informações.
  • Menos custos: o sistema é muito mais integrado, sendo possível cortar intermediários e tornar os processos mais ágeis e baratos.
  • Menor risco de inadimplência: ao conhecer o histórico dos clientes, é possível prever e evitar comportamentos indesejáveis.

Como interfere nos investimentos 

Na prática, essa mudança de paradigma é refletida na integração de carteiras de investimentos atuais. Esse serviço só funciona graças ao compartilhamento de várias empresas financeiras, porém hoje ainda existem algumas dificuldades. Como não existe uma padronização da informação e é necessário firmar parceria com cada uma das instituições, isso torna o processo oneroso, demorado e afeta a experiência do usuário.

Imagine um investidor que tenha aplicações com um certo grau de diversificação, com aplicações em fundos, moedas, títulos de renda fixa, ações, criptomoedas e ativos no exterior. Apenas para atendê-lo, poderia ser necessário se comunicar com seis empresas diferentes. O cliente, por sua vez, tem que lidar com as complexidades atreladas à declaração no Imposto de Renda de todas essas aplicações.

No caso de carteiras de investimentos integradas automaticamente com aplicativos consolidadores, o investidor pode monitorar facilmente a rentabilidade, cotações, preços e eventos de todas as aplicações. Ele tem uma visão da sua carteira como um todo e assim toma melhores decisões.

O Kinvo e a Akeloo são ótimos exemplos de empresas que se anteciparam à revolução do Open Finance ao desenvolver ferramentas que consolidam informações sobre investimentos de diversas corretoras, em um só local, facilitando a vida do investidor.

A Akeloo, ferramenta de inteligência tributária que realiza o cálculo e o pagamento de impostos em renda variável e criptomoedas, se conecta à Kinvo e consegue importar todas as operações dos seus usuários, em poucos cliques. Por sua vez, a Kinvo consegue se integrar ao CEI, às corretoras Órama e XP, ao Tesouro Direto, ao Mercado Bitcoin e já está integrando com outros players do mercado.

Conclusão

Toda essa mudança é um grande passo para um mercado que tem crescido exponencialmente no Brasil e contemplará todo o sistema financeiro. O que veremos será um cenário de mais competição e melhores preços e serviços para o investidor final.

Continue aprendendo com o blog da Akeloo e caminhe rumo ao controle de sua vida financeira. Tem alguma dúvida? Acompanhe a Akeloo no Telegram e no Instagram, ou escreva para nosso Suporte – o ajudaremos com todo o prazer! 

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe