Calculadora de IR em Bolsa
TESTE GRÁTIS
Início » Renda Variável » O que é ETF? Entenda como funciona este fundo na Bolsa

O que é ETF? Entenda como funciona este fundo na Bolsa

Quem se interessa por investir na bolsa de valores mas […]

Por Rafael Marques

Publicado em: 8/09/2021 às 15h11

Compartilhe

O que é ETF? Entenda como funciona este fundo na Bolsa

Quem se interessa por investir na bolsa de valores mas não gosta de se arriscar demais tem uma ótima opção para considerar: o ETF (Exchange Traded Fund), também conhecido como fundo de índice.

Conhecido como uma alternativa interessante para investidores iniciantes, o ETF conta com uma exposição indireta. Atualmente, há inúmeros ETFs, de forma que é necessário fazer uma boa análise sobre em qual deles vale mais a pena investir o seu dinheiro.

Antes de tudo, é importante saber que, embora pareça um investimento simples, ele não está livre de riscos. Portanto, o investidor deve tomar alguns cuidados antes de tomar a sua decisão.

Pensando nisso, preparamos este post com todas as principais informações que você deve saber sobre os ETFs. Confira os assuntos que iremos abordar:

  • O que é ETF?
  • Quais são os ETFs existentes?
  • Quais são as características do ETF?
  • Como ocorre a tributação dos ETFs?
  • Quais os custos de investir em ETFs?
  • Qual a diferença entre ETF e fundo de ações?
  • Como investir em ETF?
  • Quais os riscos de investir em ETFs?

O que é ETF?

O ETF é um fundo de investimento atrelado a um índice da bolsa de valores, como o Índice Brasil ou o Ibovespa. Isso significa que ele é composto por uma série de ativos financeiros, que podem ser de renda fixa ou variável, e administrado por uma gestora especializada. 

Dessa maneira, um grupo de pessoas se reúne para investir no fundo; ou seja, cada investidor compra uma cota de participação, de acordo com o valor do produto, excluindo a necessidade de um investimento direto.

Em síntese, o objetivo do ETF é atingir rendimentos iguais ou maiores ao indicador cujo índice ele está atrelado. Dessa forma, um fundo referenciado no Ibovespa será composto pelas mesmas ações e nas mesmas proporções deste índice. Se ele subir, o ETF também subirá na mesma proporção — o mesmo vale para as quedas.

Como dito anteriormente, a gestão deste fundo é feita por uma gestora especializada. Sua função é acompanhar o mercado, fazendo as compras e vendas que ofereçam os melhores rendimentos.

Quais são os ETFs existentes?

Agora que você entendeu o que é um ETF, deve saber que existem diferentes tipos de fundos de índice. Saiba mais sobre os ETFs de renda variável e fixa.

ETFs de renda variável

Conhecidos como ETFs de Ações, os ETFs de renda variável são os fundos negociados na bolsa de valores compostos por ações correspondentes a um índice de referência, como o Ibovespa.

ETFs de renda fixa

Os ETFs de renda fixa estão atrelados a índices de renda fixa, principalmente títulos públicos ou títulos privados.

Quais são as características do ETF?

Acima de tudo, é fundamental conhecer as características do ETF antes de decidir investir neste fundo. Veja quais são:

Gestão passiva

Como o ETF é uma espécie de cesta de ativos atrelado a um índice existente, a sua gestão é passiva: isso significa que a gestora do fundo deve apenas replicar as proporções dos ativos.

Liquidez

Os ETFs são negociados na bolsa de valores, logo, é mais fácil comprar e vender suas cotas. No caso de fundos de índices de renda variável, o prazo para liquidação é de dois dias a partir da data da transação. Já os de renda fixa têm prazo de um dia.

Diversificação

A diversificação é um importante atrativo do ETF. Uma vez que ele é composto por vários ativos financeiros, é possível ter uma carteira de investimentos diversificada com um único produto.

Acessibilidade

Como as negociações do ETF são feitas diretamente no home broker, o investidor pode fazer suas operações de maneira remota.

Transparência

Uma vantagem do ETF é que todas as documentações estão disponíveis ao investidor. Dessa forma, é possível acompanhar tudo o que ocorre no fundo de índice.

Tributos

É importante saber que os ETFs são tributados no Imposto de Renda, diferente das ações, que podem ser isentas caso as vendas mensais fiquem abaixo de R$ 20 mil.

Reinvestimento

Os proventos recebidos pelas ações do ETF são reinvestidos, o que aumenta a valorização do patrimônio do investidor.

Como ocorre a tributação dos ETFs?

Como você viu, os ETFs estão sujeitos ao Imposto de Renda, sejam eles de renda variável ou renda fixa. Dessa forma, a alíquota que incide sobre eles é de 20% em operações day trade e 15% em operações sobre os lucros obtidos com as vendas.

Quais os custos de investir em ETFs?

Um atrativo dos ETFs é que dá para investir nesses fundos com pouco dinheiro. Para se ter uma ideia, atualmente é permitido negociar apenas uma cota de ETF de renda variável na Bolsa. Assim, o investimento inicial costuma ser baixo.

No entanto, o investidor precisa estar ciente de que os ETFs também contam com alguns custos, além da tributação. Confira quais são eles:

Taxa de administração

A taxa de administração do ETF é cobrada anualmente e varia segundo o fundo de índice e a gestora. Em geral, ela fica entre 0,20% a 0,80% ao ano.

Taxa de liquidação e emolumentos

A BM&FBovespa possui uma taxa de liquidação dos títulos, que fica em torno de 0,0325% do total da operação.

Taxa de corretagem

Como a compra e venda dos ETFs ocorre na bolsa de valores, através do home broker, o investidor irá pagar uma taxa de corretagem, que varia segundo a corretora.

Qual a diferença entre ETF e fundo de ações?

Depois de entender que o ETF é um fundo de investimentos composto por vários ativos financeiros, você pode estar se perguntando qual a diferença entre ele e o fundo de ações.

Embora ambos sejam fundos, há duas diferenças principais entre eles: a escolha de ativos e a gestão deles.

Como informamos, a gestão do ETF é passiva. Ou seja, sua composição reproduz algum índice já existente. Já a gestão do fundo de ações é ativa, o que significa que a gestora escolhe os ativos que compõem a sua carteira com base em fatores diversos, como análises próprias.

Assim, quem adquire um ETF está comprando uma cota do fundo, investindo indiretamente nele.

Como investir em ETF?

Investir em ETF não é muito complicado: basta ter uma conta em uma corretora de investimentos. Dessa forma, o investidor deve acessar o home broker, pesquisar pelo ETF desejado, escolher a quantidade de cotas e adquiri-lo.

Por ser um investimento simples e acessível de fazer, com variações mais brandas, ele costuma ser bem recomendado para iniciantes na bolsa de valores, principalmente quem tem pouca experiência em renda variável.

Em geral, o ETF é recomendado para o investidor de perfil moderado e ousado.

Quais os riscos de se investir em ETFs?

Ainda que os ETFs sejam uma opção menos arriscada de se operar na bolsa de valores, eles podem ser imprevisíveis. Com uma alta volatilidade, um mesmo ETF que apresenta ótimo rendimento em determinado período não garante que continuará oferecendo o mesmo rendimento.

Conclusão

O ETF é uma excelente opção de investimento para iniciantes de perfil moderado, que estarão mais protegidos dos riscos devido à sua exposição indireta e baixos custos. Por isso, é fundamental analisar se o seu perfil de investidor está adequado a este produto.

E para apurar o seu Imposto de Renda em operações ETF, você pode contar com a Akeloo: Calculadora de Imposto de Renda completa para investidores.

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe