Calculadora de IR em Bolsa
CALCULADORA DE IR
Início » Mercado Financeiro » Mercado Futuro: o que é e como começar a investir

Mercado Futuro: o que é e como começar a investir

Entenda o que é e como funciona o mercado futuro e confira dicas para começar a negociar esses contratos

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 7/10/2021 às 18h56

Compartilhe

Mercado Futuro: o que é e como começar a investir

Você já ouviu falar de Mercado Futuro? Esse é o nome dado para o ambiente onde são negociados os contratos futuros, derivativo que garante a compra ou a venda de um determinado bem em uma data futura, com base em um preço pré-definido. 

É como fechar um contrato de compra ou venda para um prazo diferente da liquidação. Ou seja, é possível operar contratos com o preço já previsto para determinado ativo em uma data futura.  

Isso só é possível porque essa operação acontece de acordo com a bolsa de valores. Nela, é comum que as pessoas façam previsões sobre como o mercado irá se comportar no futuro. Os bens negociados nesse ambiente normalmente são lastreados em moedas, índices, commodities e outros tipos de ativos financeiros disponíveis no mercado.

Para entender melhor o funcionamento desse mercado e começar a investir nele, preparamos este texto, no qual você encontrará os conceitos que envolvem o Mercado Futuro, dicas para investir nele e muito mais:

  • O que é Mercado Futuro? 
  • Para que serve o Mercado Futuro? 
  • Como começar a negociar no Mercado Futuro? 

O que é Mercado Futuro? 

O Mercado Futuro pode ser entendido como um ambiente dentro da bolsa de valores onde são negociados contratos de compra ou venda de ativos que serão liquidados em uma data futura. Dessa forma, os investidores se comprometem a investir em determinado bem por um preço estipulado que será realizado posteriormente. 

Seu funcionamento é semelhante ao de outro tipo de derivativo, o Mercado a termo. Enquanto nele os desembolsos ocorrem somente no vencimento do contrato, no Mercado Futuro o compromisso firmado no início de um período de tempo é ajustado diariamente. 

Ao longo de todo o período firmado no início da negociação, são verificadas as alterações de preço dos contratos. A partir daí, são apuradas as perdas e os ganhos, e realiza-se a liquidação das diferenças do dia. 

O contrato negociado nesse ambiente recebe o nome de contrato futuro e são negociados somente em bolsas de valor. 

Esse ativo pode ser caracterizado pela padronização acentuada e a alta liquidez que pode gerar para os investidores. Além disso, sua negociação é considerada mais transparente já que acontece durante o pregão. 

Também há a possibilidade de encerramento do contrato com qualquer investidor envolvido graças ao ajuste diário dos valores dos contratos. O Mercado Futuro também utiliza mecanismos das margens em forma de garantias, bem como do ajuste diário para evitar o acúmulo de perdas e prejuízos. 

A principal desvantagem desse mercado é a exigência de uma movimentação financeira elevada por conta dos ajustes diários. Essas mudanças periódicas que dependem da oscilação da bolsa de valores pode ser muito benéfica para o investidor, da mesma forma que podem gerar perdas. A instabilidade e o risco são características fortes desse mercado.

Para que serve o Mercado Futuro? 

O Mercado Futuro atende objetivos que dependem do perfil de cada investidor. Tradicionalmente, esse mercado foi criado para ser usado como uma forma de proteção. No entanto, também existem maneiras de transformá-lo em um investimento lucrativo. 

Quando utilizados para proteção, o contrato futuro diminui o impacto de uma eventual mudança nos preços de mercado do ativo adquirido. Isso acontece porque ele fixa um preço para que esse bem ou ativo financeiro seja negociado em uma data futura. Portanto, não importa qual será o seu custo efetivo quando for liquidado. 

Essa operação é chamada de hedge. Quem faz um hedge não está preocupado em lucrar com as operações, e sim evitar perdas. 

Também é possível operar no mercado com o objetivo de especular com os contratos. Nesse caso, o investidor procura lucrar com as pequenas diferenças de preço em cada compra e venda 

Para esse tipo de investidor, não importa qual ativo está sendo adquirido. O que está em jogo para ele são os movimentos de curto prazo que esses contratos podem possibilitar. 

Lucrar com as discrepâncias de preços de um mesmo contrato em mercados diferentes recebe o nome de arbitragem. Além dos próprios contratos futuros, as operações de arbitragem podem envolver outros elementos, como as mercadorias ou os ativos financeiros negociados no mercado físico.

A estratégia da arbitragem se baseia no fato de que a formação de preços não é perfeita e pode ter um comportamento diferente em diferentes mercados. Dessa forma, a oscilação é uma garantia, ainda que gere um lucro relativamente pequeno. O valor dos ganhos depende da quantidade e do volume das compras e vendas. Quanto mais volumosas e frequentes forem os negócios, maiores as chances de acumular ganhos maiores.

Como começar a negociar no Mercado Futuro? 

Para começar a negociar no Mercado Futuro, você precisa criar uma conta em uma plataforma de uma instituição financeira. Nenhuma negociação desse mercado acontece em outro lugar. 

Por isso, contrate uma instituição de sua confiança e que te ofereça um bom serviço, um suporte especializado e uma plataforma de operações completa e de fácil utilização. Assim você poderá gerir os seus investimentos sem necessitar da ajuda de terceiros, mas com a certeza de que, se precisar, terá toda a ajuda disponível.

Outra dica preciosa para quem quer investir no Mercado Futuro é prestar atenção na margem de garantia. Trata-se de uma margem obrigatória para todos que desejam fazer operações na bolsa de valores. Os valores necessários para as operações variam de acordo com os contratos escolhidos. 

Também atente-se para a alavancagem, mecanismo utilizado pelos especuladores e investidores para movimentar um capital muito maior do que se tem disponível para operações.

Os ajustes diários também precisam estar entre as prioridades do investidor. Esse é o mecanismo utilizado pela bolsa como proteção e manejo de riscos para evitar a inadimplência.

Conclusão

Investir ou não investir no Mercado Futuro é uma decisão que só você pode tomar. Antes de dar esse passo, pense no seu perfil como investidor e no quanto isso afetará as suas finanças e a sua carteira de investimentos. 

O Mercado Futuro opera de acordo com a bolsa de valores, o que significa que seu comportamento tende a oscilar junto com o mercado. Isso quer dizer que não se trata de um investimento seguro. Além disso, para obter lucro, é necessário injetar uma grande quantia de dinheiro. 

O principal uso desse tipo de operação é para proteger o dinheiro que você já tem aplicado. Esse uso recebe o nome de hedge. Quando utilizado com esse objetivo, o contrato futuro diminui o impacto de uma eventual mudança nos preços de mercado do ativo que você adquiriu.

Também existem investidores que se utilizam desses contratos para especular, ou seja, lucrar com pequenas diferenças de preço em cada compra e venda de um bem. Isso também recebe o nome de arbitragem quando o lucro vem a partir das discrepâncias de preços de um mesmo contrato em mercados diferentes. 

Avalie se o seu jeito de investir e comece a operar no Mercado Futuro por meio de uma instituição financeira da sua confiança. E não se esqueça: preste atenção na margem de garantia, na alavancagem e no ajuste diário dos preços! 

Agora que você já sabe o que é o Mercado Futuro e como começar a operar nele, que tal aprofundar seu conhecimento por meio do ebook Derivativos agrícolas e Mercado Futuro?

Para aprender mais sobre o universo dos investimentos, não deixe de conferir o nosso Instagram e ver tudo que a Akeloo tem para te oferecer!

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe