Logo Akeloo Nelógica
CALCULADORA DE IR
Início » Renda Variável » Marcação a mercado: o que é e como funciona

Marcação a mercado: o que é e como funciona

Entenda como funciona a atualização diária da marcação a mercado que pode te ajudar a ter maior controle de sua carteira de investimentos

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 13/04/2022 às 19h25

Compartilhe

Marcação a mercado: o que é e como funciona

Você já ouviu falar de marcação a mercado? Este é um conceito importante para entender os mercados de renda fixa variável, principalmente no que diz respeito às variações diárias que esses ativos sofrem, tanto para cima quanto para baixo. 

A marcação, portanto, diz respeito à atualização diária dos preços dos ativos. Isso permite que o investidor saiba o resultado de seu investimento caso decida vendê-los naquele momento. 

Esse conceito é muito utilizado tanto nos títulos de renda fixa, quanto em produtos de renda variável, incluindo os fundos de investimentos. É uma formulação bastante importante para os investidores em geral e pode te ajudar a conquistar maior controle de sua carteira de investimentos

Neste textos, vamos explicar o que é a marcação a mercado e como ela funciona, além de detalhar o que interfere em seu funcionamento e muito mais: 

  • O que é marcação a mercado? 
  • Como a marcação a mercado funciona? 
  • O que interfere na marcação a mercado? 
  • Quais são as vantagens e desvantagens da marcação a mercado? 

O que é marcação a mercado?

Marcação a mercado é uma atualização diária em preços de títulos de renda fixa, de produtos de renda variável, e também de fundos de investimento. 

Baseada na matemática financeira, ela mostra quanto um título valeria caso fosse vendido ou comprado em determinado dia. 

Para isso, leva em conta a flutuação de oferta e demanda dos produtos, bem como a dinâmica do mercado. 

No caso da renda fixa, a marcação a mercado é um fato importante principalmente para aqueles investidores que pretendem solicitar o resgate antecipado de algum título.

Como a marcação a mercado funciona? 

A marcação a mercado funciona precificando títulos, diariamente, de acordo com uma série de condições impostas pelo mercado. São três os fatores mais determinantes:

  • Contexto econômico, o que inclui a taxa Selic, a inflação, acontecimentos na política, no mercado externo e etc.; 
  • Demanda dos investidores por produtos, ou seja, a oferta e procura por determinado ativo; 
  • Valor de novos títulos que estão sendo emitidos no mercado. 

Imagine que você tenha adquirido hoje um título do Tesouro Direto prefixado com uma taxa de remuneração de 5% ao ano, aplicando nesse investimento o valor de R$ 1.000. Esse é o Preço Unitário (PU) que você paga no início do investimento. 

Passado algum tempo, a taxa básica de juros sobe e vários outros títulos que pagavam mais foram lançados no mercado. Nesse cenário, o seu investimento fica menos atraente e, consequentemente, sofre uma queda no valor de mercado. 

É aí que entra a marcação a mercado como forma de reajustar o valor do seu título. No caso do exemplo dado acima, para baixo. 

Da mesma forma, o contrário pode acontecer. Se a taxa de juros cai, são os novos títulos que vão pagar menos. Então o investimento que você tem na sua carteira fica mais atraente e se valoriza. 

Se vender o seu título antes da data de vencimento, você recebe o preço de mercado daquele dia, e ele poderá ser maior ou menor do que o esperado de acordo com as mudanças na taxa de juros. 

Neste cenário, é importante que você saiba que a marcação a mercado é aplicada de forma diferente para títulos de renda fixa e títulos de renda variável

Isso acontece porque, na renda fixa, é possível saber as regras de remuneração do seu dinheiro e qual será o prazo para receber todos os recursos aplicados corrigidos

Já na renda variável, não existe uma regra pré-definida de retorno para os investidores que compram ações e nem um prazo para receber os recursos de volta, já que as ações não possuem uma data de vencimento. 

A renda obtida com cada ação dependerá de como o mercado avalia o preço daquele ativo com base na empresa a que ela pertence, o que também está relacionado com outros fatores como a saúde financeira da instituição, a expectativa de crescimento e a geração de lucro. 

A marcação a mercado também pode acontecer em fundos de investimento, que também estão sujeitos a atualização diária do valor dos ativos. O seu uso serve para evitar que haja transferência de riquezas de um cotista para outro. 

Ela também possibilita que perdas ou ganhos sejam distribuídos para quem de fato era cotista do fundo quando a valorização ou a desvalorização das cotas aconteceu.

O que interfere na marcação a mercado? 

Em cada tipo de ativo, a marcação a mercado acontece de forma diferente e existem alguns fatores que interferem nesse cálculo diário. 

Um deles é a liquidez, que diz respeito à velocidade com que o investidor consegue vender um investimento e, assim, transformar esse ativo em dinheiro. 

Em ativos com maior liquidez, a marcação a mercado é mais rápida e leva em conta o fechamento dos preços ao final de cada dia.. 

Por outro lado, os valores marcados dos investimentos de menor liquidez vão de acordo com a estimativa do preço ajustado para a sua negociação

Outro fator que interfere na marcação a mercado é o tipo de rentabilidade, que diz respeito à base de cálculo dos preços diários dos títulos de renda fixa. 

Os títulos prefixados oscilam segundo as expectativas do mercado para a taxa Selic durante o período de investimento. Quando o mercado espera uma alta nos juros, a rentabilidade final dos novos títulos sobe, enquanto o preço do título atual diminui. 

No entanto, se a expectativa foi de baixa nos juros, ocorre o inverso. 

Quais são as vantagens e desvantagens da marcação a mercado? 

Se você chegou até aqui, provavelmente já está bastante claro o que é a marcação a mercado e como ela funciona. 

Sendo assim, você já deve ter imaginado que uma das principais vantagens desse conceito é a sua transparência, porque ela reflete o valor real do investimento. 

Ela também garante confiabilidade ao mercado, na medida em que equilibra a rentabilidade entre os investidores. 

E é por isso que a marcação a mercado é uma ferramenta utilizada como padrão para atualização dos papéis desde 2002, por decisão do próprio Banco Central do Brasil. 

Uma desvantagem associada à marcação é a impressão de que o dinheiro na carteira diminui quando acontece uma eventual oscilação negativa. No entanto, é necessário compreender seu funcionamento para saber que nem tudo está perdido nesse caso. 

Se o título não for negociado antes de seu vencimento, o valor contratado será integralmente pago.

Conclusão 

Entender o que é a marcação a mercado e como ela funciona é de extrema importância para quem atua no universo dos investimentos. 

A partir do momento que você tem consciência de quais são os mecanismos por trás do comportamento dos seus investimentos, você tem tranquilidade para compreender as altas e as baixas e, assim, saber quais são as melhores decisões para sua carteira de investimento.

Agora que você já sabe o que é e como funciona a marcação a mercado, conheça mais sobre a Akeloo por meio de nosso canal no Telegram

Para aprender mais sobre o universo dos investimentos, não deixe de conferir o nosso Instagram e ver tudo que a Akeloo tem para te oferecer!

[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe

  • Derivativos agrícolas e mercado futuro

Derivativos Agrícolas e Mercado Futuro

Você sabe o que são derivativos agrícolas? Esses instrumentos financeiros fazem parte do Mercado Futuro e podem ser excelentes opções para sua carteira de ...