Calculadora de IR em Bolsa
CALCULADORA DE IR
Início » Renda Fixa » Índices de renda fixa: conheça os principais

Índices de renda fixa: conheça os principais

Quem deseja começar a investir em renda fixa deve ter […]

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 18/10/2021 às 13h49

Compartilhe

Índices de renda fixa: conheça os principais

Quem deseja começar a investir em renda fixa deve ter em mente que é fundamental saber acompanhar o mercado e interpretar seus sinais. Logo, é necessário conhecer os principais índices de renda fixa, já que são eles que permitem a comparação entre diferentes fundos de ativos, conferindo maior previsibilidade ao investimento.

Em outras palavras, os índices de renda fixa são indicadores de rentabilidade e funcionam como termômetro do mercado. A partir da observação das suas oscilações, é possível projetar a lucratividade dos investimentos com maior assertividade.

Neste artigo, apresentaremos os principais índices de renda fixa para que você possa entender como eles funcionam e fazer escolhas de investimento com mais segurança. Veja os tópicos que abordaremos:

  • Como funcionam os investimentos de renda fixa?
  • Quais são os principais índices de renda fixa?
  • As principais características da renda fixa

Como funcionam os investimentos de renda fixa?

Antes de mais nada, é importante entendermos como funcionam os investimentos de renda fixa. Trata-se de uma categoria baseada em ativos e operações que oferecem previsibilidade, o que inclui regras bem definidas — como remuneração e vencimento, entre outras — no momento da negociação.

A seguir, veja quais são os principais investimentos de renda fixa:

  • Poupança;
  • CDB;
  • Tesouro Direto;
  • LCI e LCA;
  • Letra de Câmbio;
  • CRI/CRA;
  • Fundos de renda fixa.

Cada um deles conta com características próprias que devem ser analisadas pelos investidores de acordo com o perfil e os objetivos de cada um. O que todos têm em comum é que são investimentos que oferecem segurança e previsibilidade.

Quais são os principais índices de renda fixa?

Depois de entender como funcionam os investimentos de renda fixa, é o momento de conhecer os principais indicadores de desempenho de ativos financeiros. Como explicamos anteriormente, tais índices servem como termômetros para acompanhar o mercado.

Enquanto na renda variável o principal índice é o Ibovespa, na renda fixa as opções são as seguintes:

Certificado de Depósito Bancário (CDI)

O CDI é um dos índices de renda fixa mais conhecidos. Ele se refere às transações feitas diariamente pelos bancos para manter o saldo em caixa positivo e determina o rendimento mensal e anual das aplicações, refletindo a taxa de juros.

Já a taxa de juros varia diariamente, tendo como base a média de empréstimos negociados entre bancos.

Inflação

A inflação é uma velha conhecida de todos os cidadãos, não é mesmo? Medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ela mostra para o investidor se ele está ganhando ou perdendo em uma determinada aplicação — uma vez que os investimentos vantajosos precisam ter seu percentual acima do valor da inflação.

Investimentos com percentual abaixo resultarão em perdas, pois o valor aplicado irá se desvalorizar com o passar do tempo, segundo o índice de preços. No entanto, existem alguns investimentos de renda fixa que oferecem rentabilidade com acréscimo do IPCA, o que protege o investidor do risco da variação da inflação.

Taxa Selic

A Taxa Selic, sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia, é a taxa básica de juros da economia e a maior referência no Brasil. Ela é uma das principais ferramentas do governo para controlar a inflação e tem impacto direto nas taxas de juros.

Os valores da Selic são próximos aos do CDI e são calculados com base na apuração das operações de empréstimo feitas em determinado dia por bancos que usam títulos públicos federais como garantia. 

IMA-Geral

O Índice de Mercado ANBIMA Geral (IMA-Geral) é um conjunto de índices calculados diariamente. Sua função é retratar a rentabilidade dos títulos públicos brasileiros de renda fixa e renda pré-fixada.

O cálculo do IMA-Geral é feito a partir de uma média ponderada entre seus componentes e período e o seu resultado é uma das maiores referências para operações com ativos de renda fixa.

IMA-B

Outro indicador da categoria de Índice de Mercado ANBIMA, o IMA-B aborda exclusivamente os títulos de renda fixa atrelados à inflação. Isso significa que o acompanhamento desse índice é essencial para quem deseja investir em aplicações como o Tesouro Direto IPCA+.

Além disso, o IMA-B também conta com subíndices:

  • IMA-B 5: reúne títulos com prazo de até 5 anos;
  • IMA-B 5+: para títulos com prazo acima de 5 anos.

IMA-S

Terceiro indicador do grupo dos Índices de Mercado ANBIMA, o IMA-S está ligado aos títulos pós-fixados pela taxa Selic, que serve para remunerar os investimentos corrigidos por ela e também para referenciar os juros, como vimos acima. 

Este índice é muito relevante para quem investe, ou pretende investir, no Tesouro Selic.

Índice de Renda Fixa do Mercado (IRF-M)

O índice IRF-M está ligado aos títulos de renda fixa prefixados, que abrange dois títulos públicos federais: as Notas do Tesouro Nacional Série F (NTN-F) e as Letras do Tesouro Nacional (Tesouro Prefixado/LTNs).

 

O IRF-M conta ainda com dois subíndices: 

  • IRF-M 1: para títulos cujo vencimento é de até 1 ano;
  • IRF-M 1+: títulos com vencimento acima de um ano.

ETF de Renda Fixa

O ETF, sigla para Exchange Traded Fund, é um fundo negociado na bolsa de valores que tem como características a segurança e facilidade para a compra e venda. Embora atualmente existam várias opções de ETFs de renda fixa, os primeiros a surgirem no mercado brasileiro foram:

  • FIXA11: estreou na bolsa brasileira em 2018, estruturado pela gestora coreana Mirae Asset. Conta com taxa de administração de 0,30% ao ano;
  • IMAB11: considerado o ETF oficial dos títulos públicos, estreou na B3 em 2019 e é estruturado pela Itaú Asset Management em parceria com o Tesouro Nacional. A taxa de administração é de 0,25% ao ano.

Para quem não está familiarizado com os ETFs de renda fixa, é importante saber que eles replicam os índices de investimentos de renda fixa, podendo estar atrelados a indicadores de inflação, por exemplo, ou a títulos públicos e privados prefixados.

As principais características da renda fixa

Agora que você conheceu os principais índices de renda fixa, vamos esclarecer alguns dos pontos mais importantes sobre este tipo de investimento para te ajudar a tomar uma decisão consciente. Veja:

  • O valor mínimo para começar a investir no Tesouro Direto é, em média, de R$100;
  • A renda fixa é considerada uma classe de investimento segura. Seu maior risco é a variação da taxa de juros e do índice de preços;
  • A maioria das aplicações, como os CDB e o Tesouro Selic, contam com liquidez diária. Contudo, é necessário conhecer os detalhes das condições de cada aplicação, já que esta não é uma regra geral;
  • Não existe uma aplicação mais rentável para todas as pessoas. Esse critério será definido de acordo com o perfil e os objetivos de cada investidor. Uma corretora de valores pode ajudar durante a tomada de decisão.

Conclusão

Como vimos, os índices de renda fixa são um poderoso termômetro do mercado financeiro e acompanhá-los é fundamental para que os investidores possam fazer suas aplicações com mais segurança.

Sendo assim, conhecer o seu perfil de investidor e definir um objetivo claro são medidas que ajudarão você na hora de escolher a opção mais adequada e entender qual índice deverá ser acompanhado.

Para saber mais sobre essa classe de investimentos, não deixe de conferir os nossos conteúdos sobre renda fixa. Dispomos de todas as informações que você precisa para solucionar suas dúvidas e tomar as melhores decisões.

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe