Calculadora de IR em Bolsa
TESTE GRÁTIS
Início » Renda Variável » Guia do mercado de opções: como funciona e como investir

Guia do mercado de opções: como funciona e como investir

Aprenda tudo o que você precisa saber sobre o funcionamento das opções, como operá-las e as vantagens e desvantagens de entrar nesse mercado.

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 29/10/2020 às 9h00

Compartilhe

Guia do mercado de opções: como funciona e como investir

O mercado de opções é cheio de oportunidades, sendo visto por muitos como uma forma de se proteger de oscilações ou até mesmo de operar alavancado 

Como você pode perceber, esse mercado pode ser utilizado tanto para proteção da carteira quanto para especulação e ganhos a curto prazo. Assim, para ter sucesso nesse tipo de investimento é necessário saber bastante sobre o seu funcionamento e é pensando nisso que a Akeloo preparou esse post. Nele vamos abordar:

  • o que são opções;
  • termos utilizados nesse mercado;
  • qual a diferença entre o mercado de opções e o de ações?
  • como operar dentro dele;
  • vale a pena investir em opções?
  • quais são os custos desse tipo de investimento?

O que são opções? 

Opções representam contratos que conferem ao seu titular o direito, por um período definido, de comprar ou de vender um determinado lote de ações por um valor acordado, valor esse conhecido como preço de exercício ou strike. 

Elas são operadas no mercado de derivativos e se baseiam na negociação de contratos que dependem de ativos de empresas presentes no mercado de ações . Ou seja, os contratos que derivam desses ativos.

Para que você entenda melhor, vamos imaginar dois cenários hipotéticos, um de compra e outro de venda:

Cenário de compra:

  • imagine que você possui um imóvel cujo valor atual equivale à quantia de R$500.000 e acredita que ele irá se valorizar;
  • imagine também que você tem um amigo que deseja comprá-lo e também acredita que esse imóvel irá se valorizar ao longo do tempo, mas não possui o valor necessário para realizar a compra nesse momento;
  • vocês então fazem um acordo: você se compromete a vender esse mesmo imóvel daqui a 1 ano pelo valor de R$530.000 e o seu amigo deposita em sua conta uma quantia de R$20.000 para garantir o direito de comprá-lo, pois acredita que nesse tempo o imóvel passará a valer R$600.000.
  • Se a previsão se concretizar, em um ano ele irá adquirir o imóvel por R$550.000 (valor acordado + quantia depositada), enquanto seu valor real será de R$600.000. Assim, ele terá lucrado R$50.000 ao custo de R$20.000.
  • Por outro lado, se a projeção não ocorrer, o seu amigo poderá não comprar o imóvel, terminando apenas com o prejuízo dos R$20.000 já depositados.

Cenário de venda:

  • dessa vez, imagine que você também possui um imóvel cujo valor atual equivale à quantia de R$500.000, mas acredita que ele irá se desvalorizar muito;
  • para se proteger dessa possível perda, você então decide fazer um acordo com um amigo: você se deposita na conta de seu amigo uma quantia de R$50.000 para garantir o direito de vender esse imóvel para ele por R$500.0000 daqui a 1 ano. O seu amigo terá a obrigação de comprar por esse preço após o prazo acordado. 
  • Se a sua previsão se concretizar, em um ano o imóvel valerá R$400.000, mas você terá o direito de vendê-lo por R$500.000, como acordado. Nesse caso o seu prejuízo terá sido de apenas R$20.000 (valor da quantia depositada), ao invés dos R$100.000 que ocorreriam devido à desvalorização.
  • Por outro lado, se a projeção não ocorrer  e o valor do imóvel chegar a R$530.000, você poderá não exercer o direito de vender por R$500.000 e ainda poderá lucrar R$10.000 caso venda o imóvel para outra pessoa.

A partir desses exemplos, fica claro então que as opções são uma ótima estratégia para realizar alavancagem ou hedge (proteção contra grandes variações de preço), já que servem para que você transfira o risco para outro investidor, que irá assumi-lo por um valor, o prêmio.

Termos utilizados no mercado de opções

Apesar das opções fazerem parte da renda variável, os termos utilizados dentro desse mercado são um pouco distintos dos utilizados dentro do mercado de ações. Por isso, trouxemos os principais nomes que aparecem dentro dentro universo, a fim de possibilitar um melhor entendimento. Confira:

Ativo-objeto

O ativo-objeto é o bem que será negociado dentro do mercado de opções. Em geral, o ativo-objeto é o lote de ações negociado.

Prêmio

Prêmio é o preço pago pelo titular de um contrato de opção ao vendedor no momento da aquisição da opção.

Preço de exercício (strike)

É o preço combinado pelo qual o ativo-objeto do contrato de opção será vendido futuramente.

Titular ou comprador da opção

O titular de uma opção é o investidor que fez a compra de um contrato de opção no mercado, ou seja, adquiriu para si o direito de negociar um ativo-objeto pelo preço de exercício (strike) por um determinado período de tempo ou em uma data pré-determinada.

Ele é quem terá o benefício de operar alavancado, mas corre o risco de perder o capital investido no pagamento do prêmio.

Lançador ou vendedor da opção

O lançador de uma opção é o investidor que vende um contrato de opção no mercado. Ele adquire para si a obrigação de negociar um ativo-objeto pelo preço de exercício (strike) por um determinado período de tempo ou em uma data pré-determinada..

O vendedor no mercado de opções está sempre especulando, seja vendendo opções de compra ou de venda. Ele acredita que a sua previsão sobre a  tendência do mercado se confirme e o benefício do prêmio não seja exercido. 

Data de vencimento

É o dia da expiração do contrato. Nesse dia, o contrato perderá o seu valor de mercado (popularmente é dito que a opção “vira pó”). 

Esse vencimento varia de mercado para mercado, por exemplo, no mercado BM&F, a data de vencimento será sempre na quarta-feira mais próxima do 15º dia de cada mês para opções de Índice. Já no Bovespa, a expiração acontece sempre na 3º segunda-feira de cada mês.

A forma de exercer o direito de acordo também variam. É  possível fazê-lo durante o tempo de vigência do contrato ou apenas na data de vencimento. No tipo de opção europeia, o exercício dos direitos contratuais poderá ser feito somente no vencimento do prazo, enquanto na opção americana ele poderá acontecer a qualquer momento, desde o lançamento até o vencimento.

No Brasil, a prática mais comum é utilizar a opção americana para as calls (opções de compra) e europeia para as puts (opções de venda).

Opção de Compra ou Call

Nesse cenário, o vendedor é o lançador. Ele é quem recebeu o prêmio e, por isso, terá a obrigação de vender o ativo-objeto no preço predeterminado no vencimento acordado,caso  o comprador assim deseje. 

Já esse comprador é o titular, sendo quem adquire a opção de comprar por um preço combinado, partir do pagamento do prêmio.

No exemplo dado acima, o lançador será você e o seu amigo é o titular, o contrato de negociação é a call, a quantia paga inicialmente é o prêmio e o preço acordado é o strike.

Opção de Venda ou Put

Nesses casos os papéis vão se inverter: o vendedor será o titular, pagando o prêmio para ter o direito  de vender, enquanto o comprador será o lançador, que terá a obrigação de comprar o ativo pelo preço combinado por um preço combinado no prazo acertado por ambos.

No exemplo feito, o lançador será o seu amigo, o titular será você. o contrato de negociação é a call, a quantia paga inicialmente é o prêmio e o preço acordado é o strike.

Diferenças entre o mercado de ações e de opções

Confundir o funcionamento do mercado de ações com o mercado de opções é um erro muito comum quando se fala em investir na Bolsa de Valores. Apesar disso, esses dois mercados têm funcionamentos muito distintos, ainda que estejam conectados.

Em linhas gerais, podemos dizer que o mercado de ações vai tratar da negociação direta de papéis que representam uma cota de propriedade em uma determinada empresa, as ações. Ainda que haja diferenças entre elas, todas irão tornar o investidor parte do quadro societário daquela companhia, podendo ou não ter direito ao voto.

Assim, o valor da negociação vai depender sempre da cotação de mercado da empresa no exato momento da compra, cotação essa que está sujeita a variações que se relacionam tanto com o desempenho geral do mercado quanto quanto com o desempenho da própria empresa.

o mercado de opções, por outro lado, negocia o direito da compra e venda desses ativos negociadas dentro do mercado de ações. Dessa forma, ao adquirir uma opção, você não está investindo na empresa em um primeiro momento e sim garantindo que poderá fazê-lo no futuro com o mesmo preço de hoje.

Em linhas gerais, a compra de opções vai proteger o investidor de eventualmente ter de pagar no futuro um valor maior pela ação do que o que está sendo negociado hoje.

Como investir no mercado de opções

Para investir em opções é necessário entrar no Home Broker da corretora em que você é cadastrado. Lá você terá acesso a uma gama de siglas que vão indicar as informações relacionadas àquela opção em questão. 

Na B3, a bolsa de valores brasileira, as opções são identificadas pelas 4 primeiras letras do ativo, seguidas pela letra do mês de vencimento e, por fim, pelo número que indica o strike.

Por exemplo, o código VALEB18 indica uma opção de ações da Vale com vencimento em fevereiro, com strike de R$18,00.

Vale a pena investir em opções?

Esse mercado oferece uma gama de oportunidades, especialmente por ser uma oportunidade de proteger os seus investimentos ou de operar alavancado. Apesar disso, ele é mais indicado para investidores que já tenham alguma prática na bolsa de valores, além de ser imprescindível ter conhecimento sobre o assunto.

Dica Akeloo: vale lembrar também que esse é um investimento para perfis arrojados, que lidam bem com a possibilidade de perdas em troca de maiores possibilidades de lucro.

Ainda assim, existem vantagens e riscos que devem ser consideradas na hora de tomar a decisão de investir ou não nesse mercado. São elas:

Vantagens

  • Existe possibilidade de investir em qualquer tendência de mercado, tanto na alta quanto na baixa;
  • os custos de transações são menores;
  • é possível fazer uma diversificação das estratégias de investimento;
  • há a possibilidade de melhorar a rentabilidade da carteira por meio de operações estruturadas, definindo as zonas de lucro e de prejuízo;
  • pode ser criada uma estratégia de lucro a curto prazo;

Riscos

  • Volatilidade do mercado;
  • possibilidade de operar contratos com pouca liquidez – você pode ter que vender por um preço abaixo do mercado;
  • riscos de operar alavancado – apesar de haver um aumento do potencial de lucro, há também uma potencialização das possíveis perdas.

Custos do mercado de opções

Primeiramente é necessário saber se a sua corretora cobra alguma taxa de corretagem ou taxa de custódia pelo serviço de guarda da aplicação. Além disso, são cobrados também emolumentos, taxas cobradas pela bolsa de valores para cada operação de compra e venda de ativos.

As opções têm também a incidência de Imposto de Renda (IR) de 15% sobre o rendimento líquido, além dos 20% para operações de day trade, diferentemente do mercado de ações, em que  não há incidência de IR para ganhos inferiores a R$ 20 mil no mês.

Conclusão

O mercado de opções é uma ótima forma de diversificar e proteger os seus investimentos, especialmente por ele possibilitar a formação de estratégias que se valem do tempo de duração dos contratos, da possibilidade de proteção ou de alavancagem de seus investimentos e até mesmo da volatilidade dos ativos de renda variável.

Mas não devemos esquecer que assim como todo investimento, ele tem riscos que devem ser considerados. Por isso, é necessário estar sempre atento a essas possibilidades de perdas e não esquecer de que o primeiro investimento a ser feito para se ter sucesso na sua jornada é em conhecimento.

E se você busca sempre estar por dentro das novidades do mercado financeiro e compreender melhor o seu funcionamento, não deixe de seguir o nosso  perfil no Instagram e ficar por dentro dos nossos conteúdos!

Tudo sobre o mercado de opções

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe