Calculadora de IR em Bolsa
TESTE GRÁTIS
Início » Renda Variável » Guia Definitivo do Day Trade: aprenda a operar no curto prazo

Guia Definitivo do Day Trade: aprenda a operar no curto prazo

O que é Day Trade? Como funcionam essas operações que ganham cada vez mais popularidade na internet? O que é preciso para se tornar um trader de sucesso? Preparamos um Guia Definitivo para responder a todas as suas perguntas sobre Day Trade!

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 2/12/2020 às 17h00

Compartilhe

Guia Definitivo do Day Trade: aprenda a operar no curto prazo

Nos últimos anos, o interesse pelo Day Trade têm crescido bastante entre os investidores e até entre os que nunca investiram na Bolsa de Valores. Vídeos mostrando os bastidores das operações de compra e venda e as variações do pregão atraem os cliques de curiosos sobre essa estratégia para ganhar dinheiro. Sim, porque muito do conteúdo disponível sobre Day Trade na Internet foca apenas nos ganhos, sem entrar tanto nas perdas que podem acontecer em operações de curto prazo. 

Este artigo é o seu Guia Definitivo do Day Trade: preparamos um guia completo para quem ainda está meio desconfiado sobre este tipo de operação e quer saber mais sobre o assunto. Se você já conhece mais sobre o Day Trade, mas nunca teve o interesse de investir no curto prazo, este guia também é para você. Vamos falar sobre:

  • o que é Day Trade?
  • como funciona o Day Trade?
  • quais são os riscos e vantagens do Day Trade?
  • como posso me tornar um trader?
  • quais taxas e impostos se aplicam ao Day Trade?

O que é Day Trade?

Existem diversas opções de investimentos em renda variável e a mais conhecida delas é o mercado de ações. Quem deseja comprar e vender ações pode operar na Bolsa de Valores para tentar maximizar seus lucros a partir das variações que os ativos sofrem ao longo do tempo. Assim, é possível desenvolver estratégias que vão de curto a longo prazo para ganhar dinheiro com ações.

O ponto é que uma mesma ação pode ter vários preços no intervalo de um dia. Questões internas e externas às empresas influenciam o valor dos ativos, fazendo com que uma diferença de poucos centavos signifique ganhos ou perdas expressivos para quem investe em quantidades maiores. 

É por esta razão que alguns investidores mais experientes aproveitam as flutuações do mercado para operar no curtíssimo prazo, aproveitando a janela de oportunidade que surge quando o preço de uma ação cai ou sobe durante o dia. 

Isso é o Day Trade: um tipo de operação na bolsa de valores em que o trader compra e vende ações buscando obter o maior lucro possível com as oscilações do pregão.

De certa forma, o Day Trade pode ser considerado o oposto do buy and hold, nome dado às estratégias de longo prazo dos investidores que seguem os ensinamentos de Warren Buffett e Jeremy Siegel. 

Se no buy and hold o propósito é manter o ativo na carteira com expectativa de valorização no longo prazo, a mentalidade do day trader é lucrar com variações diárias, sem a intenção de preservar as ações em sua custódia por muito tempo.

Existe também o swing trade, que acontece entre curto e o médio prazo. Nessa modalidade, as operações podem acontecer no intervalo de alguns dias e até semanas. Podemos pensar no swing trade como uma versão menos acelerada — e, portanto, menos intensa — do Day Trade.

Como funciona o Day Trade?

As operações de day trading acontecem da seguinte maneira: entre o começo e o fim de um pregão, o investidor busca oportunidades de comprar ações em queda e vendê-las quando o preço sobe. 

Imagine que você está posicionado em ITUB4 no início do pregão, com cada ação valendo R$ 28,00. Como um bom trader, você observa as oscilações e percebe que há uma tendência de alta. Se por volta de 13h o preço chegar a R$ 29,00, é uma boa ideia vender esses ativos, pois o lucro é de R$ 1,00 por ação. Supondo que você tenha 500 ações de ITUB4, são R$ 500,00 ganhos em uma única operação.

Parece simples, não é mesmo? Mas há muitos fatores que influenciam essa tomada de decisão e, em questão de segundos, uma operação pode ir do lucro ao prejuízo se o investidor não souber como e quando agir. O timing é importante nesses casos, porém é crucial fazer uma boa análise das ações. É aí que entra um método bastante utilizado no Day Trade.

Análise Técnica no Day Trade

Já falamos sobre ela em nosso Guia Prático sobre a Análise Técnica, mas vamos destacar aqui como este método é usado para operações no curto prazo. A análise técnica é uma maneira de interpretar os gráficos para entender como uma ação se comporta e identificar o melhor momento para negociar os ativos.

Não é à toa que este método também é chamado de análise gráfica, já que a identificação dos padrões depende da apresentação visual da oscilação dos preços, que revelam o movimento de oferta e demanda de um determinado ativo. Analisando essa variação histórica, é possível estimar se haverá tendência de alta ou baixa no futuro. 

No Day Trade, as operações se dão em uma janela temporal curtíssima, então faz todo sentido que a análise técnica seja a ferramenta principal na tomada de decisão do investidor. Entretanto, outros métodos (como a análise fundamentalista) também podem fornecer insights valiosos ao considerar fatores como a receita da empresa, seus diretores, concorrentes, setor em que atua etc. 

O ideal é que o investidor avalie qual método funciona melhor na sua atuação como day trader, sempre prezando por decisões baseadas em dados ao invés de emoções — acredite, este é um problema real de quem opera no curto prazo.

Quais são os riscos e vantagens do Day Trade?

Falando em decisões emocionais, elas representam uma das maiores desvantagens do Day Trade. Por ser um contexto em que é preciso ter agilidade, muitos investidores se sentem pressionados a fazer escolhas impulsivas. 

Estresse e danos emocionais

A carga psicológica desse tipo de operação pode atrapalhar aqueles que não tem a frieza necessária para enfrentar a adrenalina de um pregão mais volátil. É claro que isso tem mais a ver com o perfil do investidor do que com sua inteligência emocional, afinal, não é todo mundo que se sente à vontade ao fazer operações de alto risco. 

O day trading pode ser uma atividade estressante, principalmente nos casos em que as movimentações são maiores, o que também potencializa as perdas e ganhos. Por isso, é essencial saber a hora de parar e existe um mecanismo que pode ajudar nessas horas: o stop loss.

Stop Loss

Basicamente, o stop loss é um modo de prevenir grandes perdas no Day Trade. É como se ele funcionasse como o limitador de velocidade de um carro: ao chegar a uma velocidade predeterminada, o limitador impede que o motorista acelere mais, garantindo uma maior segurança ao condutor e passageiros do veículo. 

No stop loss, é parecido, com a diferença que o investidor determina o valor máximo de prejuízo que ele está disposto a sofrer com uma ação. Retomando o exemplo de ITUB4, vamos imaginar que o stop loss ficou definido em R$ 27,50. Assim, se o papel apresentar uma queda do seu preço inicial (R$ 28,00), a perda poderá ser de até R$ 0,50 por ação, não mais que isso. 

Essa redução de danos acontece graças ao stop loss, que vende as posições automaticamente quando elas atingem o valor de R$ 27,50. O trader é quem impõe os limites, preparando um plano de ação para o pior cenário (que pode acontecer a qualquer momento).

Alavancagem

Embora o Day Trade envolva operações de alto risco, também existe a possibilidade de ter ganhos excepcionais. Um dos mecanismos que permite que isso aconteça é a alavancagem. Ela funciona como uma espécie de limite de crédito, permitindo que o trader opere valores mais altos do que o que ele efetivamente possui em sua carteira. 

Para explicar a alavancagem financeira, é preciso entender primeiro o que é margem de garantia: trata-se do valor que um trader tem em ativos dentro da sua corretora. Ela é como se fosse um cheque caução para poder utilizar a alavancagem. Com base na margem de garantia, o investidor pode alavancar até 10 vezes o valor de seu patrimônio em operações de Day Trade.

Na prática, se você quiser comprar R$ 30 mil em ações da Via Varejo, não é preciso ter todo esse valor disponível, apenas o mínimo de R$ 3 mil em ativos (títulos públicos, outras ações, CDBs, entre outros). Supondo que esses papéis tenham uma alta durante o pregão e você negocie a venda no valor total de R$ 32,5 mil os R$ 2,5 mil de lucro ficam com você e os R$ 30 mil da operação inicial são parte da alavancagem. Com este recurso, o trader tem a chance de realizar operações maiores e maximizar seus lucros no curto prazo.

Como posso me tornar um day trader?

Com a democratização do acesso à Bolsa de Valores, ficou mais fácil investir em renda variável. Se antes o mercado de ações era restrito aos traders profissionais, hoje em dia qualquer pessoa pode investir no Day Trade, desde que tenha uma conta em uma corretora ou instituição financeira com Home Broker.

É através do Home Broker, aliás, que o trader pode executar suas operações, sejam elas de curto ou longo prazo. No caso do Day Trade, é necessário avaliar se a plataforma da sua corretora oferece uma boa experiência do usuário, isto é, se é fácil navegar e fazer operações com a agilidade que esta atividade demanda.

Contudo, existem outras características que um day trader deve ter além de um computador ou smartphone para comprar e vender ativos. Já falamos sobre a importância do controle emocional, mas é preciso destacar também a experiência e capacidade analítica para tomar decisões acertadas.

Quem opera no curto prazo precisa estar em constante aprendizado sobre as variações do mercado, com disposição para aplicar seus conhecimentos técnicos no dia a dia como trader. A rotina de operações também exige certa disponibilidade durante o horário em que o pregão está aberto, portanto considere se as suas outras atividades (como trabalho e estudos) não podem prejudicar ou serem prejudicadas pelo Day Trade.

Por fim, o investidor que deseja começar nas operações diárias deve levar em conta se as negociações de alto risco são compatíveis com seu perfil. Alguém com um perfil conservador dificilmente se sairia bem no Day Trade, da mesma forma que investidores mais arrojados não se identificam com carteiras compostas majoritariamente por ativos em renda fixa.

Quais taxas e impostos se aplicam ao Day Trade?

Quem quer se aventurar pelo mundo do Day Trade precisa saber de antemão que há algumas taxas e tributos envolvidas. Isso diminui as chances de ter problemas com a Receita Federal e ajuda o investidor a ter uma visão realista dos lucros e prejuízos obtidos.

Taxa de corretagem

Geralmente, as corretoras cobram uma taxa para que o investidor possa realizar as operações através do Home Broker. As taxas variam entre as corretoras, mas costumam ser fixas e aplicadas sempre que há alguma movimentação, seja ela de compra ou venda. 

Em determinados casos, algumas corretoras isentam o cliente de pagar pela corretagem. Vale pesquisar qual taxa cabe no seu bolso e se há um bom custo-benefício entre os pagamentos feitos à corretora e a qualidade dos serviços prestados.

Taxa de custódia

Este é outro custo relacionado às operações no Day Trade: a taxa de custódia cobrada pela BM&FBovespa. A cobrança é mensal e seu valor é calculado a partir do valor total dos ativos que o investidor possui, ou seja, a taxa é um percentual de tudo que está em custódia. 

Algumas corretoras absorvem a cobrança da BM&FBovespa e oferecem este benefício como uma “taxa de custódia zero”, embora o valor continue sendo recolhido pelas instituições diretamente da corretora. Mais uma vez, a dica é pesquisar e entender se isso representa uma vantagem real ou se é um atrativo que pode não compensar na escolha da corretora.

Imposto de Renda

Já falamos aqui sobre como funciona o IR na Bolsa de Valores, mas não custa lembrar. Quem investe em Day Trade não está isento do Imposto de Renda, que incide sobre vendas acima de R$ 20 mil por mês no mercado de capitais. Abaixo desse valor, não é preciso pagar tributação. Se o seu objetivo for esse, saiba que há diversos investimentos isentos do IR, tanto em renda fixa quanto em renda variável.

Vendeu mais do que R$ 20 mil no mês? A alíquota é de 20% sobre os lucros líquidos, mas você pode usar seus ganhos para abater as perdas, compensando os prejuízos dentro do mesmo mês. Logo, se houve um lucro de R$ 5 mil, mas você teve um prejuízo de R$ 2 mil, o imposto incidirá sobre os R$ 3 mil restantes. 

O melhor jeito de estar em dia com o Fisco e não se atrapalhar com a tributação é calculando o Imposto de Renda mensal. Pensando nisso, nós criamos uma ferramenta que faz o cálculo por você e ainda disponibiliza as DARFs para pagamento. A calculadora de IR da Akeloo é a solução para o investidor que quer descomplicar sua relação com os impostos da Bolsa. 

Lembre-se: a declaração e pagamento de tributos é uma responsabilidade sua, não da corretora. Evite dor de cabeça e pague as contribuições mensalmente.

ISS (Imposto Sobre Serviços)

O ISS incide sobre o valor da corretagem, no valor máximo de 5% do que foi cobrado pela corretora. Este tributo já vem na nota fiscal e é pago pelo investidor junto com as taxas de corretagem.

Emolumentos

As taxas de negociação e liquidação cobradas pela BM&FBovespa e pela CBLC recebem o nome de emolumentos e são calculadas de acordo com o valor financeiro das operações. A porcentagem das taxas e as faixas de volume para Day Trade estão disponíveis no site da B3.

Conclusão

Quando o assunto é Day Trade, não existe fórmula mágica: é possível, sim, ganhar muito dinheiro com as operações no curto prazo, mas os riscos também são altos e podem gerar prejuízos enormes para o investidor. Acompanhar a oscilação da Bolsa e o preço de cada ação exige paciência, dedicação e cabeça fria para não tomar decisões erradas.

Para além do encantamento com a chance de lucrar em intervalos de horas e até minutos, o day trader deve privilegiar a análise técnica das ações e usar a lógica quando for negociar os papéis. Também é importante saber que há custos envolvidos em toda operação, como as taxas de corretagem e o Imposto de Renda que pode incidir sobre volumes maiores. 

A boa notícia é que nós estamos do seu lado e queremos que você tenha um problema a menos na hora de declarar e pagar seus impostos. Clique aqui para saber mais sobre a calculadora de IR e continue lendo nossos artigos sobre investimentos!

Compartilhe