Calculadora de IR em Bolsa
CALCULADORA DE IR
Início » Mercado Financeiro » Fundo destinado a investidor qualificado e profissional: do que se trata?

Fundo destinado a investidor qualificado e profissional: do que se trata?

Quando alguém entra para o mundo dos investimentos, é comum […]

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 2/12/2021 às 10h06

Compartilhe

Fundo destinado a investidor qualificado e profissional: do que se trata?

Quando alguém entra para o mundo dos investimentos, é comum se deparar com dois termos muito utilizados pelo mercado: investidor qualificado e investidor profissional. Você sabe o que eles significam?

Embora seja fácil para iniciantes confundirem tais expressões, elas não são a mesma coisa. Na verdade, são classificações da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para pessoas físicas e jurídicas que cumprem determinados requisitos.

Segundo o órgão, tais classificações foram criadas para oferecer proteção aos investidores contra riscos desproporcionais ao seu patrimônio. Do mesmo modo, cada grupo de investidor tem acesso a determinadas aplicações financeiras, como os fundos, que podem não estar disponíveis para pessoas comuns.

Quer saber mais sobre o fundo destinado a investidor qualificado e profissional? Então continue lendo este artigo. Veja quais tópicos nós abordaremos:

  • Qual a diferença entre investidor profissional e qualificado?
  • O que é fundo destinado a investidor qualificado e profissional?
  • Como se tornar um investidor qualificado?
  • Qual a vantagem de se tornar um investidor qualificado ou profissional?
  • Quais aplicações estão disponíveis para o investidor qualificado?

Qual a diferença entre investidor profissional e qualificado?

Como explicamos acima, para ser classificado como “qualificado” ou “profissional”, e ter acesso a aplicações exclusivas, o investidor deve atender a determinadas condições. É importante saber quem está habilitado a pertencer a cada grupo antes de entender sobre fundo destinado a investidor.

Veja as atribuições de cada um abaixo:

Investidor profissional

É considerado investidor profissional a pessoa física ou jurídica que tenha mais de R$10 milhões de reais em investimentos em investimentos no mercado financeiro, comprovados por escrito.

Este grupo de investidores tem acesso a qualquer tipo de investimento financeiro no Brasil e pode participar de fundos de investimentos mesmo que a maior parte do seu patrimônio esteja no exterior.

Outros investidores profissionais são:

  • Instituições financeiras e instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil;
  • Entidades abertas e fechadas de previdência complementar;
  • Seguradoras e sociedades de capitalização;
  • Clubes de investimento cuja carteira seja gerida por administrador autorizado pela CVM;
  • Fundos de investimento;
  • Administradores de carteira;
  • Agentes autônomos de investimento certificados pela CVM;
  • Analistas e consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM.

Investidor qualificado

O investidor qualificado é a pessoa física ou jurídica cujos investimentos financeiros ultrapassem o valor de R$ 1 milhão e atestem sua condição por escrito. 

Também é classificado como investidor qualificado quem possui certificação ou qualificação técnica aprovada pela CVM como CEA, CNPI, ANCORD, CNPI e outras. Nesse caso, não é necessário ter R$ 1 milhão aplicados, já que o investidor tem compreensão técnica e financeira sobre as aplicações mais restritas.

Além disso, são considerados investidores qualificados os clubes de investimento cuja carteira seja gerida por um ou mais cotista qualificado e os investidores profissionais.

Como vimos, o investidor profissional e o investidor qualificado se diferem dos investidores comuns devido à quantia elevada em investimentos e aos conhecimentos técnicos a respeito de aplicações financeiras e seus riscos.

O que é fundo destinado a investidor qualificado e profissional?

Depois de saber como são classificados os grupos de investidores, fica mais fácil entender do que se trata o fundo destinado a investidor qualificado e profissional. Em primeiro lugar, é importante ressaltar que se tratam de fundos distintos, embora haja semelhanças entre eles.

A seguir, veja as características de cada um:

Fundo destinado a investidor qualificado

Como o próprio nome sugere, este fundo é exclusivamente voltado para o perfil qualificado. A exceção são os empregados ou sócios de instituições gestoras do próprio fundo ou de sociedades ligadas a elas. Nesse caso, é obrigatória uma autorização expressa pelo diretor responsável pela instituição perante a CVM.

Segundo a CVM, as regras para este tipo de fundos incluem:

  • A utilização de ativos financeiros na integralização e resgate de cotas, com o estabelecimento de critérios detalhados e precisos para adoção desses procedimentos;
  • Dispensa, na distribuição de cotas de fundos fechados, da elaboração de prospecto e a publicação de anúncio de início e de encerramento de distribuição;
  • Cobrança de taxas de administração e de performance, conforme estabelecido em seu regulamento;
  • Estabelecimento de prazos para conversão de cota e para pagamento dos resgates diferentes maiores de D+5 (cinco dias úteis);
  • Prestação de fiança, aval, aceite ou coobrigação de qualquer outra forma, em nome do fundo, relativamente a operações direta ou indiretamente relacionadas à carteira do fundo, sendo necessária a concordância de cotistas representando, no mínimo, dois terços das cotas emitidas pelo fundo.

Fundo destinado a investidor profissional

O fundo destinado a investidor profissional é semelhante ao anterior, tendo como única diferença o tipo de investidor que pode ser admitido. 

Podem participar do fundo:

  • Investidores profissionais;
  • Investidores que tenham vínculo familiar ou societário a um investidor profissional desde que 90% das contas do fundo sejam detidas por eles;
  • Empregados e sócios de administradoras ou gestoras do fundo ou empresas ligadas a elas, mediante autorização expressa do diretor responsável da instituição perante a CVM.

Como se tornar um investidor qualificado?

Como visto, é possível se tornar um investidor qualificado quem tem mais de R$ 1 milhão alocados em investimentos financeiros. Nesse caso, é necessário solicitar o Termo de Investidor Qualificado no banco de investimentos e declarar que possui o montante exigido e o conhecimento técnico para aplicações restritas, de risco elevado.

Outro caminho é ser aprovado em um exame de qualificação técnica, que irá avaliar os conhecimentos que o candidato tem do sistema financeiro. As principais provas são as seguintes:

  • CEA: Certificação de Especialista em Investimentos ANBIMA;
  • CGA: Certificação de Gestores ANBIMA;
  • CFP: Certified Financial Planner – Planejador Financeiro;
  • CFA III: Chartered Financial Analyst;
  • Agente Autônomo de Investimentos (AAI): Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord);
  • CNPI: Analista de Valores Mobiliários.

Vale ressaltar que mesmo após obter a certificação, o investidor deverá cumprir com as exigências necessárias para que a documentação não seja suspensa. Elas envolvem o pagamento de anuidade e o cumprimento de créditos de educação continuada.

Qual a vantagem de se tornar um investidor qualificado ou profissional?

A grande vantagem é o acesso a investimentos que não estão disponíveis aos investidores comuns. Embora muitas dessas aplicações tenham um maior potencial de risco, as possibilidades de lucros também são mais elevadas.

Além disso, o investidor qualificado consegue ainda obter algumas condições diferenciadas nos bancos de investimentos. Assim, quem possui um perfil tolerante a riscos pode explorar mais opções e fortalecer sua carteira.

Quais aplicações estão disponíveis para investidores qualificados?

Você já sabe que os investidores qualificados têm acesso a produtos financeiros de acesso restrito, que apresentam maior potencial de risco e possibilidade de ganhos elevados. Veja agora quais são eles:

  • Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e do Agronegócio (CRA);
  • Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC);
  • Fundo de Investimento no Exterior (FIEX);
  • Fundos de Investimento em Participações;
  • Fundos de Investimentos Imobiliários (FII).

Lembramos que algumas aplicações, como os Fundos Imobiliários e os Fundos de Investimento de Participações, também possuem opções para o investidor comum.

Conclusão

Como você viu, o fundo destinado a investidor qualificado e profissional é um tipo de aplicação financeira exclusiva, voltada apenas para pessoas que cumpram os requisitos exigidos pela CVM devido ao seu alto nível de complexidade.

Gostou de saber mais sobre esse assunto? Então não deixe de conferir também quais são as principais diferenças entre Fundos de Ações e Clubes de Investimento e aprofunde seus conhecimentos!

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe