logo-akeloo-nelogica
CALCULADORA DE IR
Início » Investimentos » Fundo de Ouro: o que é e como investir neste ativo

Fundo de Ouro: o que é e como investir neste ativo

Conheça o fundo de outro, investimento que aposta majoritariamente neste metal precioso e saiba como investir nele

Por Helena Tonelli

Publicado em: 18/07/2022 às 19h19

Compartilhe

Fundo de Ouro: o que é e como investir neste ativo

Você sabia que o ouro, além de ser um mineral raro transformado em joia, também é utilizado como uma commodity? Sendo assim, como acontece com qualquer matéria-prima, ele se torna passível de investimento. E uma das formas mais comuns é através do fundo de ouro

Como o próprio nome sugere, trata-se de um fundo de investimento que investe majoritariamente em ouro. E é possível investir nele de maneira bem simples e rápida, sem muita burocracia envolvida. 

Esse tipo de investimento normalmente é feito por investidores que desejam diversificar e proteger suas carteiras, já que o fundo não costuma sofrer com quedas bruscas de valor

Ficou interessado em conhecer mais sobre o assunto? Neste texto, vamos explicar o que é e como investir no fundo ouro: 

  • O que é o fundo de ouro? 
  • Como funciona o fundo de ouro? 
  • Quais são os tipos de fundos de ouro? 
  • Como investir neste ativo? 
  • Quais as vantagens e desvantagens do investimento?

O que é o fundo de ouro? 

O fundo de ouro é um fundo de investimento que investe majoritariamente em ouro, um metal precioso que pode ser considerado uma commodity. 

É por meio dele que um investidor pode, facilmente, adquirir ativos cujo valor de mercado estão atrelados ao valor do ouro. 

Por ser uma commodity – ou seja, um produto básico global não industrializado -, ele é normalmente negociado em dólar

Dessa forma, a rentabilidade do ativo associado ao ouro varia de acordo com a valorização ou a desvalorização do próprio metal no mercado, e com a valorização ou a desvalorização da moeda dos Estados Unidos. 

Como funciona o fundo de ouro? 

Ele funciona como qualquer outro fundo de investimento. O gerenciamento é feito por especialistas qualificados e os investimentos dentro dele reúnem os recursos de diversos investidores

Sendo assim, os ganhos obtidos são divididos entre todos que investiram no fundo, de acordo com a proporção do valor aplicado por cada um. 

Por ser gerenciado por especialistas, investir no fundo ouro é uma atividade bastante simples e nada burocrática. 

A equipe especializada é a responsável por tomar decisões que podem potencializar o lucro do fundo. 

Vale lembrar que os fundos de investimento em ouro são bastante caracterizados pela alta liquidez. Ou seja, ele pode ser resgatado rapidamente, o que implica em menores riscos de perdas significativas no seu investimento.

Quais são os tipos de fundo de ouro? 

Existem diversos tipos de fundos de ouro disponíveis no mercado. O que diferencia cada um deles é a estratégia de alocação dos gestores responsáveis. 

Nesse cenário, há três tipos mais comuns: 

Fundo de ouro em real 

O fundo ouro em real é fundo de aplicação voltado para a commodity no valor do real, a moeda brasileira. 

Sendo assim, esse tipo de fundo não sofre diretamente com as variações do dólar, a moeda americana. E as aplicações são feitas através de contratos futuros. 

Fundo ouro em real + CDI 

Já o fundo ouro em real + CDI segue a mesma lógica do fundo ouro em real, no qual a aplicação é voltado para a commodity no valor em real. 

Seu diferencial é que, nele, os gestores visam atingir melhores resultados com a variação do preço do ouro com o acréscimo do CDI (Certificado de Depósito Interbancário)

Esse tipo de fundo ouro tem foco em aplicações no médio e longo prazo.

Fundo ouro + dólar

O fundo ouro + dólar aplica em ativos que acompanham a variação do dólar. Ou seja, o seu valor patrimonial oscila de acordo com a moeda americana. 

Neste caso, é importante o investidor acompanhar o desempenho do fundo, o que não significa que isso seja uma desvantagem para quem o acumula na carteira sua de investimentos. 

Como investir? 

Se você está pensando em investir no fundo de ouro, o primeiro passo é procurar uma gestora de fundos de investimento ou até mesmo uma corretora de valores

Tenha certeza de que a instituição escolhida por você é uma boa opção. Verifique como ela é vista no mercado, qual seu histórico de investimento e se seus clientes estão satisfeitos. 

Depois disso, procure saber quais são os custos da aplicação. O investidor é responsável por arcar com o Imposto de Renda e a taxa de administração do fundo. 

Também há corretoras que cobram uma taxa de performance, em geral cobrada somente em casos em que a rentabilidade do fundo é maior do que o índice atrelado a ele. 

A tributação desse tipo de fundo cobra mais de quem deixa o dinheiro aplicado por menos tempo. A porcentagem da alíquota diminui conforme o tempo de aplicação. 

O IR do fundo ouro é cobrado a cada seis meses, no último dia útil dos meses de maio e novembro, sobre os rendimentos desses períodos. A alíquota que incide é de 15%. 

No momento do resgate, há um complemento no IR de acordo com o prazo de permanência do investidor na aplicação. 

Sabendo de tudo isso, e programando a maneira certa de investir, você está pronto para incluir o fundo ouro nos seus investimentos.

Quais as vantagens e desvantagens de investir neste ativo? 

A principal vantagem dos fundos de ouro é que, com o tempo, a commodity se mostra com uma importante reserva de valor.

Por conta disso, o ativo costuma se mostrar como uma alternativa de proteção para uma carteira diversificada, visto que os investidores costumam migrar para reservas de valores em momentos de crises e instabilidade do mercado.

Como desvantagem podemos apontar que esse tipo de fundo não gera caixa e renda passiva, sendo uma aposta apenas na valorização da própria commodity.

Outra desvantagem é que o ouro costuma manter o seu valor a longo prazo, mas no curto podem haver oscilações em função da oferta e da demanda, ou seja, apresentar alta volatilidade. 

Conclusão 

O fundo de ouro é uma modalidade de investimento que atrai os investidores por conta da simplicidade, proteção e rentabilidade

Para entrar nesse universo, basta ter conta em um banco, em uma corretora ou então entrar em contato com uma gestora de fundos de investimento. 

A segurança da sua rentabilidade está atrelada ao fato do ouro não sofrer variações bruscas em comparação a outros tipos de ativos.  

Com isso, esse investimento pode ser uma boa alternativa para quem busca estabilidade em suas aplicações a longo prazo, assim como por quem busca proteção em momentos de fortes oscilações no mercado.

Mas antes de decidir se essa aplicação é mesmo o que você procura, fique atento ao seu perfil de investidor. Assim você saberá quais aplicações se encaixam em suas características e objetivos.

Agora que você já sabe o que é e como investir no fundo ouro, que tal se aprofundar no assunto? Com este texto, você aprende como declarar compra e venda de ouro no IRPF. 

Para aprender mais sobre o universo dos investimentos, não deixe de conferir o nosso Instagram e ver tudo que a Akeloo tem para te oferecer!

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe

  • Derivativos agrícolas e mercado futuro

Derivativos Agrícolas e Mercado Futuro

Você sabe o que são derivativos agrícolas? Esses instrumentos financeiros fazem parte do Mercado Futuro e podem ser excelentes opções para sua carteira de ...