Calculadora de IR em Bolsa
TESTE GRÁTIS
Início » Imposto de Renda » Erros no Imposto de Renda: saiba como evitá-los

Erros no Imposto de Renda: saiba como evitá-los

Saiba quais são e como evitar os principais erros cometidos no Imposto de Renda que fazem os contribuintes caírem na malha fina da Receita Federal

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 22/01/2021 às 17h00

Compartilhe

Erros no Imposto de Renda: saiba como evitá-los

Assim que começa o ano, muita gente vai atrás de informações importantes na hora de declarar o IR. As informações podem confundir o declarante e erros no Imposto de Renda são muito comuns de acontecer.

Isso acontece porque muitas dúvidas acabam surgindo em relação ao procedimento e à forma mais correta de realizar a declaração.

Para te ajudar, listamos e explicamos alguns dos principais erros cometidos na hora de realizar a Declaração do Imposto de Renda

É muito importante que você se atente aos detalhes, pois até mesmo pequenos erros e incoerências podem fazer com que a sua declaração caia na malha fina da Receita Federal

Para descobrir quais são os erros e aprender a evitá-los, é só continuar a leitura. Neste texto vamos explicar como evitar os seguintes erros: 

  • Problemas de digitação
  • Omissão de rendimentos com aluguel
  • Inclusão de despesas não dedutíveis
  • Erros na classificação dos rendimentos 
  • Inclusão do dependente em mais de uma declaração
  • Omissão dos rendimentos dos dependentes 
  • Confusão à respeito da pensão alimentícia
  • Confusão entre PGBL e VGBL
  • Declaração de patrimônio incompatível com a renda 

Os principais erros no Imposto de Renda

Descubra quais são os principais erros cometidos na declaração do IR e como evitá-los:

Problemas de digitação 

O erro de digitação é um dos problemas mais comuns nas declarações enviadas. Isso porque o preenchimento exige muita atenção, e fazê-lo com pressa pode levar ao acréscimo ou à omissão de zeros aos valores finais, por exemplo. 

Para conferir as declarações, a Receita Federal cruza informações. Um informe de despesa médica, por exemplo, precisa vir com o comprovante anexado. Dessa forma, a Receita cruza as informações do paciente, que pagou a consulta, com as do médico, que recebeu o valor. 

Se esses valores forem diferentes, os dois declarantes podem cair na malha fina para que as declarações sejam inspecionadas. 

Para evitar esses problemas, atente-se especialmente a pontos, vírgulas e quantidades de zeros na hora de declarar

Omissão de rendimentos com aluguel  

Tanto o proprietário do imóvel quanto o inquilino precisam declarar os aluguéis pagos e recebidos. Além disso, os valores precisam bater entre si a fim de evitar a malha fina.

Também acontece de o proprietário não declarar os rendimentos recebidos, enquanto o inquilino declara que pagou esse valor de aluguel para o dono do imóvel. 

Nesses casos, a Receita cruza os dados e, caso seja detectada uma inconsistência, o contribuinte que não declarou o aluguel terá que pagar o tributo de uma vez só, acrescido de juros e multa aplicados pela Receita.   

Lembrando que valores abaixo de R$ 1.903,98 por mês estão isentos e não precisam recolher o imposto mensal, pago através do carnê-leão no mês seguinte ao do recebimento.  

Inclusão de despesas não dedutíveis

É muito importante ter certeza sobre quais despesas são ou não dedutíveis do IR. As que envolvem saúde e educação são as que geram mais confusão entre os contribuintes.

Sobre as despesas de educação, apenas gastos relativos ao pagamento de mensalidades ou anuidades de escolas, faculdade e cursos profissionalizantes podem ser deduzidos do IR. Dessa forma, despesas com uniforme, material escolar etc não podem ser deduzidas. 

Sobre as despesas com saúde, despesas com gastos médicos de qualquer especialidade e também dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e hospitais podem ser deduzidas desde que o contribuinte guarde e apresente, junto à declaração, os recibos que comprovem esses gastos. 

Erros na classificação dos rendimentos

Os rendimentos declarados devem ser divididos em três categorias: tributáveis (como salário e aluguel); de tributação exclusiva (como juros sobre capital próprio); e não tributáveis (como rendimento da poupança e herança).

A declaração de um rendimento na categoria errada pode gerar inconsistência e ser detectada pela Receita e o contribuinte pode ter que pagar juros ou multa se a confusão alterar o resultado da declaração caso os impostos devidos não tenham sido pagos. 

Inclusão do dependente em mais de uma declaração 

Esse erro pode acontecer quando as duas partes do casal declaram o IR adicionando o filho como dependente

Por causa da repetição do CPF, os dois cairão na malha fina; por isso, deve haver um consenso prévio para decidir quem irá declarar o filho. Geralmente, é mais vantajoso que o declarante que tem mais impostos a pagar declare o dependente. 

Omissão dos rendimentos dos dependentes 

Outro erro muito comum é omitir os informes que os dependentes recebem (seja salário, bolsas de estágio ou de estudo, aposentadoria, pensão alimentícia etc)

Nesse caso, existem duas opções: ou o declarante não declara o filho como dependente ou o declara, informando todos os rendimentos recebidos por ele. 

Confusão a respeito da pensão alimentícia 

Se o contribuinte paga pensão alimentícia para um beneficiário, normalmente um filho, ele é alimentando, e não dependente. 

Se a pensão passar de R$ 1.903,98 por mês, o contribuinte deve recolher o imposto mensalmente, assim como no caso do aluguel. Dessa forma, o beneficiário da pensão deve declarar esse valor como “rendimento tributável”, pagando os impostos sobre o que receber. 

Confundir PGBL com VGBL

Confira uma breve explicação sobre as diferenças entre as modalidades de previdência privada, quando cada uma deve ser adquirida e qual as tributações envolvidas. 

PGBL 

A sigla PGBL significa Programa Gerador de Benefício Livre e vale à pena para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda, pois até 12% do total da renda tributável (salários, aluguéis, pensões etc) pode ser abatida da base de cálculo do IR. 

O PGBL deve ser informado na aba de “Pagamentos Efetuados”.

VGBL 

VGBL é a sigla para Vida Gerador de Benefício Livre e é destinada aos investidores que optam pela declaração simplificada do Imposto de Renda. Nessa modalidade não há dedução no IR, mas a tributação é consideravelmente menor se comparada ao PGBL. 

Isso porque apenas a rentabilidade é tributada, e não o valor total do investimento. 

O VGBL deve ser declarado como uma aplicação financeira e seu saldo é informado na ficha “Bens e Direitos”. 

Patrimônio incompatível com a renda declarada

Esse erro é facilmente identificado pela Receita Federal e indica que alguma das rendas do contribuinte foi emitida — seja por falta de atenção ou por desonestidade

Se as fontes de renda indicam um valor, mas o patrimônio adquirido no ano for muito superior à renda, o declarante cai na malha fina; para evitar isso, os gastos devem ser compatíveis com a renda declarada. 

Alterar valor de bens 

É importante lembrar que o valor do patrimônio que você já possui não deve ser atualizado para o preço de mercado que possui hoje. Dessa forma, todos os bens devem ser declarados pelo custo de aquisição.

A única exceção ocorre se o contribuinte possui um imóvel e realizou uma reforma no último ano; nesse caso, é possível atualizar o valor usando os comprovantes dos gastos que teve no período. 

Conte com a Akeloo para evitar erros no Imposto de Renda

Com a calculadora de IR da Akeloo, você fica em dia com os seus impostos de maneira simples e fácil de acompanhar, além de  manter organizadas todas as informações necessárias para realizar a sua Declaração Anual de IR em Bolsa de maneira inteligente, evitando pagar valores errados. Clique aqui e saiba mais!

Conclusão 

Grande parte dos erros mais cometidos na Declaração do Imposto de Renda pode ser evitada tendo atenção na hora de realizar a declaração. Além disso, é fundamental guardar recibos e comprovantes para não ter nenhum problema caso caia na malha fina. 

Guia completo sobre tributação em investimentos

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe

  • isenção imposto de renda

Como funciona a isenção no Imposto de Renda

É possível ser isento do pagamento do Imposto de Renda desde que você se enquadre em alguns critérios - mesmo investindo na Bolsa. Confira quais são eles e como solicitar a sua isenção.