TESTE GRÁTIS
Início » Mercado Financeiro » Diversificação de investimentos: entenda como fazer na sua carteira

Diversificação de investimentos: entenda como fazer na sua carteira

A diversificação de ativos é o primeiro passo para o investidor que deseja ter uma carteira forte. Confira dicas de como usar a estratégia na sua vida

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 19/01/2021 às 17h00

Compartilhe

Diversificação de investimentos: entenda como fazer na sua carteira

Um dos maiores segredos para ter sucesso no mundo dos investimentos é, com certeza, saber montar uma carteira diversa e equilibrada

Além de saber escolher quais produtos devem ou não fazer parte da carteira, é fundamental que o investidor tenha consciência acerca da importância da diversidade dos ativos escolhidos, pois essa é uma das estratégias mais bem-sucedidas de proteção e construção de patrimônio. 

Em tempos de crise, como a que vivemos em 2020, é que a diversificação de investimentos se mostra mais valiosa, pois ela evita que toda a rentabilidade da carteira esteja exposta a um mesmo segmento, mercado ou indicador. 

Isso significa que o risco, natural no mercado financeiro, fica dividido entre diversos ativos diferentes, diminuindo as possibilidades de prejuízo.  

Neste texto você encontrará os conceitos que envolvem a diversificação de investimentos e também dicas de como montar uma carteira ideal para passar por todos os momentos e muito mais: 

  • A lógica da diversificação dos investimentos;
  • O que significa, na prática, diversificar os investimentos?
  • Vantagens de ter uma carteira diversificada;
  • Diversificação e balanceamento: a combinação perfeita. 

A lógica da diversificação dos investimentos

O objetivo da diversificação é diminuir o peso de um ou mais ativos sobre o desempenho geral dos investimentos

Essa estratégia é fundamental pois ajuda a lidar com a imprevisibilidade e a alta volatilidade do mercado financeiro. 

Para entender esse conceito, basta pensar no ditado popular “nunca coloque todos os ovos na mesma cesta”. 

A mesma lógica pode ser usada na hora de escolher investimentos. O investidor que possuía toda sua carteira investida em renda variável viu o seu patrimônio despencar mais de 30% junto à Bovespa, em menos de um mês, após o início da crise do coronavírus, em 2020, por exemplo. 

Se nessa época, por algum problema, ele precisasse liquidar as posições para ter o dinheiro em conta, as chances de ter de realizar um prejuízo seriam bastante altas. 

Por outro lado, o investidor que se preocupa em manter uma carteira diversificada teria bem menos problemas com isso

Em uma eventualidade, ele poderia resgatar o valor necessário de sua reserva de emergência, por exemplo. Presenciando as quedas da bolsa, ele poderia realizar o lucro dos fundos de ouro e dólar (que servem como um colchão para proteger a rentabilidade da carteira, pois se valorizam bastante em momentos de crise) para investir em renda variável, voltando a equilibrar a carteira e aumentando as chances de lucro no futuro. 

Percebeu a diferença? Enquanto a primeira carteira, focada em apenas um ativo, não apresenta saída nos momentos de crise, a segunda carteira é, justamente por ser diversa, muito mais segura para o investidor

O que significa, na prática, diversificar os investimentos? 

A teoria é fácil de entender: a diversificação consiste em distribuir o capital entre diferentes ativos a fim de diminuir o risco dos investimentos

Na prática, essa estratégia precisa ser bem pensada e definida com um objetivo pelo investidor. 

O objetivo pode ser comprar uma casa, um carro, montar uma aposentadoria confortável, viajar e por aí vai. 

Já a definição da estratégia deve levar em conta principalmente o perfil do investidor. É ele quem guia as porcentagens que cada ativo deve apresentar para que a carteira seja confortável e se adeque aos objetivos do investidor. 

Como diversificar os investimentos? 

O mercado financeiro, de acordo com os perfis de investimento, classifica os ativos em 3 categorias diferentes: 

  • investimentos arriscados (como bolsa de valores e fundos que buscam superar o Ibovespa)
  • investimentos moderados (como fundos imobiliários e fundos que buscam superar o CDI)
  • investimentos conservadores (como títulos pós fixados, CDBs e fundos que buscam superar a inflação)

Uma carteira de investimentos diversificada possui ativos das três categorias. Como já dissemos, a quantidade depende do perfil de cada investidor. 

Dessa forma, a ideia é que o investidor tenha pelo menos um ativo de cada categoria a fim de balancear e diversificar a carteira. Quanto mais ativos, mais disperso o risco fica.

Além disso, é recomendável começar a montar a carteira pelos ativos mais seguros (ou seja, mais conservadores, em que a relação risco x lucro é menor) para depois avançar para investimentos arriscados, como a compra de ações e fundos de ações. 

Vantagens de ter uma carteira diversificada 

Sempre buscamos listar os pontos positivos e negativos, mas, no caso da diversificação dos investimentos, praticamente não existem desvantagens. 

A segurança da diversificação é tão saudável que compensa qualquer ponto negativo. 

Para comprovar isso, listamos algumas das vantagens para o investidor:

Mais chances de ter sucesso

Evitando a aposta total dos recursos em apenas um investimento, é possível aumentar as possibilidades de obter sucesso nos aportes, pois a carteira será formada por diferentes classes de ativos. Mesmo que um indexador caia, outros resistirão, mantendo a carteira equilibrada.  

Potencialização dos ganhos 

O investidor pode garantir uma rentabilidade acima do mercado com mais facilidade, pois a carteira será composta por ativos de diferentes indicadores. Caso algum deles se destaque, todo o retorno da sua carteira é elevado.

Redução de riscos

A exposição a uma enorme gama de opções de investimento permite que o risco seja dissolvido, já que cada ativo reage de formas diferentes de acordo com movimentos políticos, econômicos e sociais.

Mais tranquilidade para o investidor

Além de garantir a longevidade da carteira, ter uma parte do patrimônio investido em ativos de maior liquidez dá tranquilidade ao investidor, que sabe que pode recorrer àquele dinheiro a qualquer hora que precisar. Por outro lado, ter partes do patrimônio investido em ativos de maior risco garante uma maior rentabilidade para a carteira, equilibrando as relações.

Diversificação e balanceamento: a combinação perfeita para o investidor

Depois que o investidor consegue construir uma carteira diversificada, é muito importante que ele tenha disciplina para mantê-la dessa forma. É aí que entra a estratégia do balanceamento de carteira

Ela consiste em revisitar a carteira para conferir se os ativos continuam seguindo as porcentagens recomendadas no perfil do investidor

Caso haja valorizações, por exemplo, é interessante vender pelo menos uma parte das posições e reinvestir em outro ativo. É nessa hora que o investidor realmente tem lucro.

Caso esteja desvalorizada, deve avaliar se vale a pena aguardar a retomada de valorização, se é melhor se desfazer ou até mesmo se vale fazer novos aportes a fim de aumentar o investimento buscando um movimento de crescimento para o futuro.  

De qualquer forma, se a carteira foi pensada de acordo com o perfil do investidor, é bem simples: o objetivo do balanceamento é buscar que esse equilíbrio (tanto das porcentagens quanto da diversidade dos ativos) se mantenha durante o tempo necessário que foi estipulado para o investidor ao escolher a estratégia. 

É claro que pessoas e planos mudam o tempo todo; dessa forma, a estratégia por trás da montagem da carteira não precisa ser a mesma para sempre. 

Contudo, enquanto for interessante para o investidor, é fundamental ter foco para manter o planejamento. 

Conclusão

A diversificação dos investimentos é, sem dúvidas, uma das estratégias mais importantes para o investidor que deseja obter sucesso não só no aumento como também na conservação do seu patrimônio

Esse conceito é bastante simples e até meio óbvio, mas muitos investidores, principalmente os que estão começando, podem cometer o erro de apostar em um único ativo e acabar perdendo dinheiro. 

Para evitar esse desgaste, busque sempre informações confiáveis e evite “seguir a manada”. 

Aqui na Akeloo, buscamos sempre te ajudar a resolver problemas e questões que parecem super complicadas de uma forma simples e fácil. Acompanhando o nosso Instagram e o nosso blog você recebe os melhores conteúdos.

Guia completo sobre tributação em investimentos

Compartilhe

  • aluguel de ações

Aluguel de ações: como funciona?

Apesar de pouco comum entre os investidores de primeira viagem, o aluguel de ações é uma boa pedida para rentabilizar ativos parados e ganhar com as oscilações da bolsa de valores. Descubra como essa prática pode funcionar para o seu perfil de investidor!