Calculadora de IR em Bolsa
TESTE GRÁTIS
Início » Renda Fixa » Como proteger seus investimentos do risco na crise?

Como proteger seus investimentos do risco na crise?

Investir já traz riscos, mas investir na crise traz mais ainda. Aprenda a proteger seus investimentos do risco e sair incólume da crise!

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 4/09/2020 às 9h00

Compartilhe

Como proteger seus investimentos do risco na crise?

Assim como tudo na vida, investir traz riscos. Em um cenário normal, os investidores se previnem do risco estudando o mercado e escolhendo ativos mais conservadores. Algumas coisas, entretanto, não são possíveis de serem previstas, como a crise do coronavírus. Momentos de instabilidade política e econômica podem trazer muita insegurança aos investidores, principalmente se a situação é inédita mundialmente. E agora, o que fazer? Como investir? Como agir? Como proteger seus investimentos do risco na crise? 

Neste artigo você vai aprender:

  1. o que é risco
  2. quais são os riscos possíveis
  3. como investir em momentos de crise
  4.  dicas e estratégias para proteger seus investimentos do risco 

Se interessou? Então continue lendo e aumente suas chances de passar incólume pela crise!

O que é risco? 

O risco é nada mais, nada menos do que a possibilidade de perder dinheiro ou não ter o retorno esperado. Existem três tipos de risco mais comuns na hora de investir. São eles:

  • Risco de liquidez

O risco de liquidez é o risco de não conseguir transformar o ativo em dinheiro na velocidade que você precisa. Por exemplo, se você não consegue vender uma ação rapidamente ou resgatar um fundo de renda fixa na hora em que precisa, caiu no risco de liquidez. Para evitar esse risco é sempre importante conferir quais são os prazos de carência do ativo. 

  • Risco de crédito

É o risco mais temido: não receber o dinheiro de seu rendimento por calote ou falência da intermediária financeira. O FGC (Fundo Garantidor de Crédito) acalma os investidores, já que cobre R$250 mil (em até 4 corretoras financeiras, totalizando R$1 milhão) por CPF. 

  • Risco de mercado

É o risco mais difícil de controlar, já que envolve o mercado financeiro no geral. Oscilações do dólar, altas e baixas da Bolsa, inflação e queda nas exportações são exemplos de risco de mercado. 

Como investir em momentos de crise?

Em uma crise sem precedentes como as que vivemos, tudo que você já sabe sobre investimentos pode estar errado. Mesmo os melhores especialista se abstém de garantir o que pode acontecer ou como o mercado irá reagir no futuro. Por isso, a melhor saída é ser adaptável. Você vai precisar ficar muito atento aos seus investimentos e à sua estratégia. Preparamos uma série de dicas para você investir em momentos de crise com maior segurança. Confira quais são:

  1. Elimine as dívidas 

Crises financeiras podem trazer dívidas, principalmente para quem ainda não tem reserva de emergência. Caso tenha se endividado, não faça novos aportes antes de eliminar suas dívidas. Mantenha o pagamento de dívidas como uma prioridade, porque os juros podem gerar uma bola de neve enorme e muito prejudicial, ainda mais em momentos de instabilidade. 

2. Faça um raio x da sua estratégia 

Anote cuidadosamente todos as suas perdas e ganhos, entenda quais investimentos ainda estão rendendo positivamente e pense a longo prazo. Não interrompa investimentos a não ser que seja absolutamente necessário, pois a tendência é que a situação se normalize a longo prazo. Acionistas de empresas sólidas, por exemplo, geralmente não tem motivo para se preocupar, já que a tendência é que a empresa volte a crescer após o período de recessão. 

3. Tenha em mente o seu perfil de investidor

Autoconhecimento é tudo! Sabendo o seu perfil de investidor, você conseguirá entender qual o nível de risco que pode suportar e estará mais preparado para rever seu portfólio e deixá-lo alinhado com sua personalidade e com seus objetivos. 

4. Diversifique

Mais do que nunca, é hora de diversificar. Em um cenário incerto, o ideal é não depositar todas as suas fichas em um investimento só. Dessa maneira, você se resguarda e evita perder grandes volumes de dinheiro. 

5. É preferível ser pessimista do que otimista 

O que você prefere? Ser pessimista e receber boas notícias ou ser otimista e ser pego de surpresa por perdas imprevistas? Apesar de sempre esperarmos o melhor, tanto para o país, quanto individualmente, é melhor se prevenir e manter seus gastos na ponta do lápis. Ou seja, além de tomar as devidas precauções com seus investimentos, evite perder o controle do seu planejamento financeiro. A meta em uma crise é sempre se manter sem dívidas, com os gastos controlados e com os investimentos rendendo.  

6. Invista em companhias sólidas

Se você investe em ações, pode ficar mais tranquilo se alocar seu dinheiro em empresas sólidas e com grandes chances de crescimento. Antes de investir, analise as companhias e mensure o retorno possível, principalmente a longo prazo. Dica Akeloo: cuidado com as carteiras recomendadas na internet. Elas podem ser excelentes opções, mas podem não fazer sentido para você. Pesquise antes.

Com todos esses passos tomados, você está preparado para investir na crise e sair dessa melhor do que entrou. Agora você precisa aprender as melhores estratégias para proteger seus investimentos do risco e, enfim, colocá-las em prática. Continue lendo e descubra!

Como proteger seus investimentos do risco?

Algumas dicas e estratégias podem te ajudar a proteger seus investimentos do risco, sejam eles de renda fixa ou renda variável. Todos podem ser beneficiados – desde os investidores conservadores aos mais arrojados. Confira quais são elas e coloque em prática:

Renda Fixa 

Se você investe em renda fixa, não precisa parar. Mesmo com a queda da Selic, os títulos de renda fixa são boas opções para a reserva de emergência, principalmente se tiverem taxas reduzidas ou zeradas. Procure CDB’s com rendimento acima de 100% do CDI e priorize juros próximos ou acima da inflação.

Renda Variável 

A primeira dica é não investir em empresas que estão seriamente afetadas pela crise do coronavírus, como companhias aéreas ou de turismo. Procure empresas cuja receita não depende da pandemia. 

  • Hedge

Você sabe o que é hedge? A estratégia é antiga e busca minimizar o risco frente à grandes oscilações financeiras. Na prática, é um derivativo usado em transações muito voláteis, como em negociações de commodities ou em câmbio, que fixa o preço antes de repassar o dinheiro. 

Para usá-lo a seu favor, você pode negociar moedas estrangeiras em contrato futuro, garantindo o preço mesmo com as oscilações. Também pode entrar para o mercado de opções ou vender ações com performance próxima aos indicadores de volatilidade do mercado (como ações com desempenho similar ao do Ibovespa). 

  • Arbitragem

A arbitragem é uma técnica que busca lucrar com as distorções momentâneas de preços em diferentes mercados. A ideia é comprar e vender um mesmo ativo em mercados diferentes. A arbitragem pode ser cambial, de bolsa a bolsa (venda de ações em duas bolsas diferentes) e à vista contra a prazo (quando o preço de um ativo à vista diferente de o preço a prazo.

Para conseguir usar a arbitragem a seu favor, o investidor precisa estar muito atento às oscilações de mercado, já que é com elas que ele lucrará. Se você acha que a arbitragem é uma boa ideia para você, precisa de uma plataforma que te permita acompanhar os mercados em tempo real, como a plataforma da Akeloo. 

Day Trade

day trade

Day trade são operações rápidas, em que a compra e venda do ativo é realizada no mesmo dia. Para conseguir lucrar com a prática, o trader precisa acompanhar as oscilações da Bolsa de Valores em tempo real e vender as ações com um preço menor do que comprou. O day trade permite lucros altos, mas também perdas altas, então a recomendação é não iniciar no day trade sem muito estudo. Se você já investe na prática pode se beneficiar de algumas estratégias de gerenciamento de risco.

  • Crie uma estratégia de trading

Para proteger seus investimentos do risco na crise, você precisa ter uma estratégia e rotina de trading bem definida. Defina quais indicadores e técnicas de análise você usará – eles são essenciais para avaliar se sua estratégia está tendo resultado. Sem uma estratégia, a chance é de que você desperdice tempo e dinheiro – e não perder dinheiro é ainda mais importante no meio de crises, principalmente como a que estamos vivendo. 

  • Definir stop loss 

Mesmo que você tenha perfil arrojado e não tenha medo de riscos, ter definido o stop loss para day trade é muito importante. Saiba qual é o seu limite de perda e não deixe que o prejuízo vá além. 

Para definir seu stop loss, é só programar uma ordem de venda na sua intermediária financeira. Assim, quando seu prejuízo chegar no valor marcado, suas ações são vendidas, mesmo que você não esteja acompanhando a performance de sua carteira no momento. 

Conclusão

Momentos difíceis e de crise são muito desafiadores, mesmo para os investidores mais experientes! Mas lucro não combina com cabeça quente, ou seja, não tome decisões precipitadas. Aproveite o período para aprender mais sobre seus investimentos e proteger seus investimentos do risco. Está usando outra estratégia? Conta para gente nos comentários ou em nosso perfil do Instagram! 

Guia completo sobre tributação em investimentos

Compartilhe

  • dólar no cartão de crédito

Dólar no cartão de crédito: saiba como funciona

Considerar apenas a cotação do dólar no dia da compra através do cartão de crédito é perigoso e pode afetar ainda mais o seu bolso. Entenda como se prevenir ou até mesmo acabar com essas taxas!