Logo Akeloo Nelógica
CALCULADORA DE IR
Início » Imposto de Renda » Como declarar meus investimentos na Bolsa de Valores? Passo a passo completo

Como declarar meus investimentos na Bolsa de Valores? Passo a passo completo

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 10/02/2022 às 8h31

Compartilhe

Como declarar meus investimentos na Bolsa de Valores? Passo a passo completo

“Como declarar meus investimentos na Bolsa de Valores?” é uma pergunta que a maioria dos investidores já fizeram quando chega a época de declaração do Imposto de Renda. 

Afinal, todas as pessoas que possuem ações na carteira precisam declará-las de forma correta para não ter problemas com a Receita Federal. 

O que muita gente não sabe é que existe uma maneira correta de fazer esse tipo de declaração para não cair na malha fina ou ser multado pelo Fisco. 

Os investidores precisam prestar atenção nos detalhes para garantir que as informações declaradas estão de acordo com a realidade dos movimentos financeiros do ano de referência. 

Para facilitar esse processo, a Akeloo desenvolveu o Guia de Declaração Anual, que auxilia no momento da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda de Pessoa Física. 

Quer saber mais sobre a declaração dos investimentos em ações? Neste texto você encontra um passo a passo completo sobre como fazer isso e muito mais: 

  • Preciso declarar meus investimentos em ações? 
  • Como declarar meus investimentos em ações? 
  • O que é o Guia de Declaração Anual?

Preciso declarar meus investimentos na Bolsa de Valores? 

Antes de entender como declarar seus investimentos em ações, você precisa saber se as suas movimentações nesse mercado estão enquadradas entre aquelas que precisam constar no Imposto de Renda. 

De acordo com a Receita Federal, qualquer pessoa que tenha realizado a compra e/ou venda de ações precisa declará-la obrigatoriamente, independente se a operação gerou lucro ou prejuízo. 

As vendas mensais de ações com valores acima de R$20 mil têm incidência de Imposto de Renda sobre os lucros – a alíquota é de 15%. Já no Day Trade, ela é de 20%. 

Abaixo dessa quantia de R$ 20 mil, você está isento de IR sobre eventual ganho obtido, exceto nos casos de Day Trade.

Ao fazer a sua declaração, o IRRF é compensado. O pagamento do Imposto de Renda sobre o ganho obtido nessas operações deve ser feito mensalmente, até o último dia útil do mês. 

Caso a operação resulte em prejuízo, ele deverá ser informado com o sinal negativo e o IRPF poderá ser compensado com os lucros do próximo mês.

Como declarar meus investimentos n Bolsa de Valores 

É muito importante fazer a declaração dos investimentos de forma correta para não cair na malha fina da Receita Federal. 

Para ficar mais fácil de entender como isso deve ser feito, nós criamos um passo a passo completo que mostra quais são os caminhos para fazer isso da melhor forma possível.

Para isso, é só seguir o passo a passo abaixo:

1. Reúna as informações e documentos necessários 

O primeiro passo para declarar ações no Imposto de Renda é reunir informações relativas às movimentações que você fez na Bolsa de Valores no ano de referência.

Para isso, reúna os seguintes documentos:  

As notas de corretagem das operações realizadas ao longo do ano de referência; 

O demonstrativo de custódia que é enviado pela instituição financeira no último dia do ano anterior ao ano de referência; 

O informativo de rendimentos enviados pelas empresas que pagaram dividendos, juros sobre capital próprio e outras bonificações; 

O total em prejuízos acumulados no início do ano anterior (se houver) informados na declaração do IRPF anterior.

2. Identifique as operações e some os resultados

Como as operações de day trade têm uma tributação diferente das operações normais, é importante que você identifique elas e faça a distinção entre as duas. 

Depois disso, some os resultados de cada operação e verifique qual foi o valor das vendas. 

Nos meses em que o valor total das vendas foi abaixo de R$ 20 mil, o IR está isento. Caso você tenha vendido mais, a alíquota será de 15%. 

Já nas operações de day trade é sempre necessário pagar 20% de tributo sobre o lucro. 

Importante ressaltar que o ideal é que a apuração das operações em bolsa seja feita mensalmente ao longo do ano, pois, como dito anteriormente, as mesmas podem gerar IR a ser recolhido. Além disso, esta etapa fica bem mais simples na hora de fazer a Declaração.

3. Desconte o prejuízo 

Após separar as operações e somar os resultados, chegou a hora de conferir as perdas. Se as operações resultaram em prejuízo, não será necessário pagar imposto. 

Além disso, o prejuízo acumulado em meses anteriores pode ser deduzido do lucro atual, mas o abatimento ocorre em operações do mesmo tipo. Dessa forma, as perdas de day trade só compensam ganho de day trade. 

4. Baixe o programa do Imposto de Renda

Essa é uma etapa simples, mas extremamente importante. Para declarar as ações, você precisa baixar o software do Imposto de Renda de Pessoa Física, que fica disponível no site da Receita Federal. 

Depois disso, chegou a hora de preencher os dados das operações isentas. 

5. Preencha os dados corretamente

Diante do software de declaração, dê início ao preenchimento das informações solicitadas. 

Em geral, é mais fácil começar pelas movimentações isentas de Imposto de Renda. Para isso, siga os passos a seguir: 

  • Acesse o campo “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”;
  • Selecione o item 18 para ganhos de capital com ações que não ultrapassem R$ 20 mil;
  • Em “Tipo de Beneficiário”, escolha “Titular” caso seja você o investidor;
  • Em “CNPJ da Fonte Pagadora”, preencha com CNPJ da instituição financeira;
  • No campo “Valor”, informe a soma total dos seus rendimentos recebidos pela corretora.

Para as operações que geraram imposto a pagar ou prejuízo, as mesmas devem ser informadas na ficha de Renda Variável, nos respectivos meses. Aqui vale ressaltar que devem ser separadas as operações comuns e as de day-trade, conforme apresentado pelo próprio programa da Receita.

O saldo que você tem em ações no último dia do ano deve ser declarado da seguinte forma: 

  • Escolha a opção “Bens e Direitos”; 
  • No campo “Código”, selecione o item 31 para ações; 
  • Em seguida, especifique a quantidade de ações, o preço médio de aquisição, o nome da empresa e CNPJ e a corretora utilizada para a compra; 
  • Preencha a sua posição no ano anterior e no ano-exercício; 
  • Repita os mesmos procedimentos com cada uma das ações que você possui. 

Antes de fazer os envio da declaração, verifique todas as informações fornecidas para não cair na malha fina e sofrer problemas com o Fisco. 

6. Fique atento ao prazo 

Não se indispor com a Receita Federal é um pré-requisito básico para quem tem interesse em entrar no mundo dos investimentos financeiros. Para isso, preencha a declaração anual dentro do prazo.

O que é o Guia de Declaração Anual?

O Guia de Declaração Anual é uma ferramenta desenvolvida pela Akeloo para te auxiliar no momento da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda de Pessoa Física (DIRPF). Trata-se de um passo a passo o mais parecido possível com o programa da Receita Federal, a fim de facilitar e agilizar a sua Declaração. 

Ele permite que você se certifique de que os seus proventos do ano base estão corretos e de acordo com a realidade. Saiba mais sobre essa ferramenta neste link

Conclusão 

Saber como declarar ações no Imposto de Renda é muito importante para o seu patrimônio. Isso garante que você não caia na malha fina e possa crescer e investir de maneira correta. 

Com o passo a passo completo que você encontra neste texto a declaração será feita de forma rápida e fácil garantindo que você não tenha problemas com a Receita Federal.

Agora que você já sabe como declarar seus investimentos na bolsa, conheça um pouco mais sobre ferramenta de declaração anual da Akeloo

Para aprender mais sobre o universo dos investimentos, não deixe de conferir o nosso Instagram e ver tudo que a Akeloo tem para te oferecer!

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe