Calculadora de IR em Bolsa
TESTE GRÁTIS
Início » Imposto de Renda » Como compensar prejuízos no Imposto de Renda: aprenda agora

Como compensar prejuízos no Imposto de Renda: aprenda agora

Descubra como compensar seu prejuízo para diminuir a base de cálculo da alíquota do Imposto de Renda sobre o lucro nos investimentos e aprenda a pagar menos tributos de maneira legal!

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 25/11/2020 às 10h51

Compartilhe

Como compensar prejuízos no Imposto de Renda: aprenda agora

Por mais que o investidor se sinta preparado para lidar com o mercado de renda variável e de fundos de investimento, algumas variáveis fogem do controle e os resultados nem sempre podem ser previstos com antecedência. Dessa forma, quando algo não sai como o esperado e algum ativo da carteira se desvaloriza, o prejuízo pode ser inevitável. Contudo, nem tudo está perdido! É possível compensar prejuízos no Imposto de Renda em outras operações que eventualmente venham a te dar lucro.

Neste artigo você vai aprender como essa compensação pode ser feita e ainda vai conferir outros detalhes sobre esse procedimento, como: 

  • é possível compensar prejuízos no Imposto de Renda?
  • como funciona a compensação dos prejuízos
  • passo a passo: como compensar prejuízos em ações no Imposto de Renda
  • como compensar prejuízos em fundos de investimento
  • até quando esse prejuízo pode ser compensado?
  • como a Akeloo pode te ajudar nessa operação

É possível compensar perdas no Imposto de Renda?

Sim, é possível. De acordo com a Receita Federal, os prejuízos acumulados nos meses anteriores podem ser descontados dos lucros do mês atual a fim de diminuir a base de incidência do IR, diminuindo o valor do imposto que deve ser pago mensalmente. 

Essa compensação pode ser feita em ações ou em fundos de investimento. 

Como funciona a compensação dos prejuízos? 

Na intenção de diminuir os valores gastos no pagamento de tributos, os prejuízos realizados podem ser compensados sobre ganhos de outras operações, reduzindo a base de cálculo da alíquota do IR que irá incidir sobre o lucro bruto do resgate do patrimônio. 

É simples: caso você tenha tido prejuízos em uma operação, esse valor pode ser abatido do lucro que você teve em outra, e da diferença entre os dois valores é que será calculado quanto você deve pagar de impostos para a Receita Federal. 

Para entender tudo sobre Imposto de Renda na Bolsa não deixe de conferir o post completo que fizemos sobre esse assunto. 

Para ficar mais fácil de entender, vamos seguir um exemplo. 

Um investidor tem dinheiro aplicado em dois FII’s, o Fundo Imobiliário A e o Fundo Imobiliário B, e eles tiveram rendimentos diferentes em um determinado período. Enquanto o FII A teve rentabilidade bruta de R$ 150, o FII B não performou bem e teve prejuízo de R$ 100. 

Na hora de resgatar o valor investido no FII A + rendimento de R$ 150, é necessário pagar a alíquota do IR sobre o lucro que você obteve.  

A tributação desse resgate segue a tabela regressiva do Imposto de Renda, que funciona da seguinte maneira: 

Prazo do Investimento Alíquota de IR
Até 180 dias 22,50%
181 até 360 dias 20,00%
361 até 720 dias 17,50%
Acima de 720 dias 15,00%

Sobre o valor de R$ 150 e considerando que o resgate foi feito antes de 180 dias, a alíquota é de 22,50% e o valor do tributo é R$ 33,75, restando um valor de R$ 116,25 de ganho + o valor investido no FII. É uma alta quantia em impostos, né? 

É aqui que entra a compensação de perdas. Supondo que o investidor decida resgatar o Fundo Imobiliário B, que não está performando bem e apresenta um prejuízo de R$ 100, o valor desse prejuízo será compensado no valor do lucro realizado no Fundo Imobiliário A (R$ 150) e a alíquota vai ser aplicada apenas no valor dessa diferença, que nesse caso é de R$ 50. 

Assim, o FII A pagará imposto sobre uma base bem menor, de apenas R$ 50, totalizando R$ 11,25 de impostos e um valor final de R$ 138,75 na hora do resgate final.  

Ou seja: 

  • Sem a compensação, o ganho bruto é de R$ 116,25
  • Com a compensação, o ganho bruto é de R$ 138,75

Saiba tudo sobre fundos de investimento 

Passo a passo: como compensar perdas em ações

Agora que você qual é a lógica por trás dessa teoria, vamos entender como deve ser feita a compensação de prejuízos em ações. 

Antes, vale lembrar que esse processo pode ser um pouco trabalhoso e até mesmo confuso para o investidor fazer à mão, por isso recomendamos que você use a nossa Calculadora de IR em Bolsa para te ajudar a resolver essa situação com mais agilidade. 

Lá você consegue gerar suas DARFs e reúne todas as informações necessárias para realizar sua declaração anual de maneira inteligente e descomplicada. Ah, os primeiros 7 dias são grátis! 

  1. Separe as operações que tiveram prejuízo

Para a Receita, existem dois tipos de investimentos em ações:

  • Operações day trade: quando o investidor compra e vende as ações no mesmo dia, aproveitando os movimentos curtos do mercado;
  • Operações normais: quando a compra e venda não é feita no mesmo dia. Nesse caso, a diferença entre uma operação e outra pode ser de dias, semanas, meses e até mesmo anos, se a estratégia de investimento for a de buy and hold.

Os prejuízos não devem ser misturados pois prejuízos em operações de day trade só podem ser compensados em operações de day trade e operações normais só podem ser compensadas em operações normais. 

2. Acumule os prejuízos novos com os mais antigos

Neste momento, é preciso ter controle e organização sobre sua carteira.  

Tenha registrado os prejuízos acumulado ao longo dos meses anteriores e não deixe de somar a eles os prejuízos do mês atual, sempre se lembrando de respeitar a divisão por tipo de ação.  

3. Desconte o prejuízo dos lucros

Assim que você obter um resultado positivo em um determinado mês, aproveite para compensar o prejuízo dos meses anteriores para diminuir a base de cálculo da alíquota do IR. 

O raciocínio explicitado com os FII’s A e B, citados no início do texto, é o mesmo para as ações na Bolsa e a alíquota do Imposto de Renda também segue a tabela regressiva. Seguindo valores parecidos, ficaria assim: 

Lucro acumulado (em day trade) + R$ 1.500,00
Prejuízo acumulado – R$ 1.000,00
Lucro tributável R$ 500
Imposto sobre o lucro bruto de R$ 500 (considerando alíquota de 22,5%) R$ 125
Rendimento bruto resgatado no final R$ 375

Se o IR fosse calculado sobre o valor total do lucro de R$ 1.500,00, o valor final da tributação seria de mais de R$ 300. 

Para operações normais, a alíquota do Imposto de Renda é fixa em 15%, mas o cálculo para a compensação deve ser feito da mesma forma.

4. Desconte o prejuízo já compensado

Após deduzir um prejuízo de um lucro (diminuindo, assim, a base de cálculo da alíquota de um imposto), esse prejuízo não deve ser utilizado novamente. 

Por isso, lembre-se de subtrair o prejuízo que você compensou do seu saldo de prejuízo, sempre respeitando a diferença entre os dois tipos de operação (day trade e normais). 

Como compensar prejuízos em Imposto de Renda em Fundos de investimentos

Seguindo o exemplo no início do artigo e a exemplo da regra de que só há compensação em investimentos de mesmo regime tributário, os fundos são classificados dessa forma: 

  • fundos de curto prazo;
  • fundos de longo prazo (cambial, FIDC, RF, multimercado com tributação regressiva);
  • fundos de renda variável ou com tributação de renda variável (FIA, mútuo de ações, fundo multimercado de investimento em ações).

Atente-se a alguns detalhes! 

É importante lembrar que essa compensação só pode ser feita entre fundos de mesmo regime tributário. Para saber mais sobre essa classificação, é necessário consultar o regulamento do Fundo que você aplica seu patrimônio. 

Outro ponto importante é que nem todas as corretoras de investimento fazem essa compensação de forma automática, então é necessário estar atento para não pagar mais impostos que o necessário.

Até quando um prejuízo pode ser compensado? 

Não há um limite para que essa compensação seja feita, portanto o investidor pode compensar um prejuízo em qualquer mês subsequente ao seu período de apuração, inclusive nos anos seguintes. 

Contudo, embora não seja necessário pagar os impostos no mês em que teve prejuízo para compensar sobre um lucro futuro, o investidor deve declarar o mesmo na Declaração Anual do Imposto de Renda a fim de mantê-lo regular para ser usado no ano seguinte. 

Caso não seja declarado, ele não poderá ser utilizado, pois ele não existe, aos olhos da Receita Federal, se não tiver sido declarado. 

É fundamental lembrar que se o valor negociado no mês tiver sido inferior a 20 mil reais não são cobrados tributos referentes ao Imposto de Renda, então o investidor não precisa se preocupar em compensar seus prejuízos para diminuir as despesas. 

A Akeloo pode te ajudar nesse processo! 

Como dissemos, a organização dessas operações, principalmente quando falamos da compensação de prejuízos em ações na Bolsa, pode ser complexa, principalmente para o investidor que possui uma carteira diversificada em renda variável. 

Além dos valores a serem compensados e dos valores de lucro, também é necessário fazer os cálculos da alíquota do Imposto de Renda para declarar os resultados da maneira mais completa possível. 

Para realizar todo esse processo com organização, inteligência e praticidade, você pode contar com a nossa Calculadora de Imposto de Renda na Bolsa para te ajudar. 

Através dela é possível gerar suas DARFs já calculando os descontos de taxa de corretagem, demais impostos e prejuízos anteriores. Lá você terá todas as informações necessárias para realizar sua Declaração Anual e ainda receberá várias dicas de como otimizar seus tributos usando dicas simples para pagar menos impostos

Através da Calculadora você consegue organizar tudo o que você precisa saber sobre seus investimentos em Bolsa em apenas um lugar: é simples, inteligente e prático. 

Cadastre-se gratuitamente aqui e aproveite os primeiros 7 dias grátis para experimentar todas as vantagens! 

Conclusão 

Neste artigo você aprendeu como compensar prejuízos no Imposto de Renda para diminuir a base de cálculo da alíquota do seu Imposto de Renda, potencializando, assim, seus ganhos.

Além disso, você aprendeu, através de exemplos práticos, como essa operação é realizada. Para continuar te ajudando nessa jornada de pagar menos impostos de forma legal, nos siga no Instagram e fique por dentro das novidades aqui no nosso blog para não perder nenhum conteúdo sobre organização financeira e investimentos.

Guia completo sobre tributação em investimentos

Compartilhe