TESTE GRÁTIS
Início » Imposto de Renda » Calcular Imposto de Renda mensal: aprenda com o passo a passo

Calcular Imposto de Renda mensal: aprenda com o passo a passo

A apuração mensal de resultados na Bolsa de valores é uma rotina (ou pelo menos deveria ser) de quem opera na renda variável. Aprenda a fazer com nosso passo a passo!

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 25/10/2020 às 9h00

Compartilhe

Calcular Imposto de Renda mensal: aprenda com o passo a passo

Todos os investidores que operam na Bolsa de valores devem calcular imposto de renda mensal e pagar impostos sobre seus lucros não isentos. Se você chegou aqui, muito provavelmente já conhecia essa informação. Se ainda não conhecia, bem vindo ao clube dos investidores que pagam seus impostos! A apuração mensal de resultados na bolsa de valores é uma rotina (ou pelo menos deveria ser) de quem opera na renda variável, e muitas vezes as dúvidas se estamos realmente fazendo do jeito certo são inevitáveis.

E não se engane, isso acontece desde o investidor iniciante até o mais velho de casa!

Nossa legislação ainda tem muito a melhorar, principalmente quanto ao esclarecimento de determinadas leis e regras para o cálculo e o pagamento de impostos.

É por essa dor que todos nós temos (sim, nós aqui também sentimos isso na pele) que existe a Akeloo. Trabalhamos para que você, investidor, não precise se preocupar com nada disso.

Mas sabemos também que muitos de vocês tem suas próprias planilhas e preferem fazer seus próprios cálculos, então vem com a gente para esclarecer de vez como calcular imposto de renda mensal sem deixar nada de fora

Como calcular Imposto de Renda mensal?

Para te deixar preparado, a apuração mensal é dividida nas partes e a seguir. 

  • Determinar o preço médio de suas operações
  • Apurar o lucro/prejuízo
  • Compensação de prejuízos anteriores
  • Compensação de IRRF
  • Gerar e pagar DARF

Fique à vontade para navegar nas partes que ainda precisa aprender. Se não sabe nada sobre como calcular Imposto de Renda mensal, vem com a gente ver o passo a passo!

Determinar o preço médio de suas operações

O cálculo de preço médio pode até utilizar a média simples em alguns casos, em que as quantidades são sempre as mesmas e os preços são valores redondos. Mas como regra geral, o ideal será sempre a utilização da média ponderada.

Além disso, de forma alguma deixe de acrescentar no cálculo de preço médio os custos de sua operação. Corretagem, aluguel, emolumentos e demais custos podem parecer pequenos, por serem apenas alguns centavos ou alguns reais, mas a longo prazo estes valores fazem uma diferença e tanto.

E a recomendação é que sempre esteja com o preço médio em dia, por isso utilize de plataformas de controle de seus ativos ou até mesmo uma planilha de Excel, mas tenha tudo em dia. Isso facilita muito no momento de calcular seu imposto de renda mensal e vai impedir que cometa certos erros.

A determinação do preço médio correto será essencial para não ter erro enquanto você está ganhando ou perdendo com suas operações, que é o passo a seguir.

Apurar o lucro ou prejuízo

Este é um ponto que à primeira vista parece muito fácil, mas preste bastante atenção nos pontos que vamos mostrar pois é essencial que a apuração de lucro e prejuízo esteja correta.

A apuração de lucro ou prejuízo será dividida por tipos de ativos. Falaremos disso logo abaixo, mas antes vamos entender como funciona esse cálculo.

Na verdade, determinar o lucro e prejuízo é um cálculo fácil mesmo. Se trata apenas de venda – compra. Veja só nosso exemplo:

Se você comprou uma ação com o preço médio R$10, e vendeu com o preço médio de R$15, basta fazer 15-10 e chegará ao valor de R$5 de lucro. Simples, certo? 

E aqui cabe um adendo: Existem outras formas de apurar o lucro ou prejuízo mensal, como por exemplo somar todo o montante de compras e todo o montante de vendas do mês de cada tipo de ativo e também descobrir o lucro ou prejuízo total, porém acreditamos que fazendo a apuração por cada operação realizada é mais simples o entendimento e evita erros, principalmente para quem está iniciando. Caso sinta que seu modo é mais fácil para você, fique à vontade para seguir desta forma, não existe apenas um caminho!

Perceba que uma vez calculado o preço médio de cada operação já considerando os custos, você tem uma coisa a menos para se preocupar. O fato de não precisar procurar cada custo individual de operações para somar nos custos totais do mês é um alívio para quem não tem muita organização de suas operações ainda.

Falamos anteriormente que a apuração será dividida por tipos de ativos, e é neste ponto que muitas pessoas acabam se confundindo na tarefa de apuração. 

Por exemplo: se você comprou uma ação da Petrobrás no dia 22/11 , vendeu esta ação no dia 23/11, e neste mesmo dia 23/11 você a recomprou novamente e vendeu no dia 24/11, à primeira vista pode parecer simplesmente duas operações swing trade, certo? Comprou, vendeu, depois comprou e vendeu novamente. 

Um erro comum e que ocorre facilmente com muitos investidores. Neste caso acima ocorreu uma operação swing trade e uma day trade, e isso tem muito impacto no imposto de renda. 

Então neste ponto tenha muita atenção em como foram feitas as operações e, se necessário, procure ajuda de especialistas em imposto de renda na Bolsa como nós para te ajudar, ok? 

A apuração de lucro/prejuízo de suas operações deverá ser dividida em quatro partes. São elas: 

  • lucro/prejuízo de ações com swing trade
  • lucro/prejuízo swing trade demais operações (opções, ETF, mercado futuro)
  • lucro/prejuízo day trade (pode colocar junto aqui todos os tipos de ativos, contanto que sejam day trade)
  • lucro/prejuízo FII’s

Essa divisão é necessária por conta das diferentes regras da Receita Federal para os diferentes tipos de ativos. 

Caso seu resultado mensal seja de prejuízo, adicione este valor a prejuízos anteriores que ainda estejam em aberto. 

Por exemplo: digamos que você está fazendo apuração de seu resultado do mês de abril de 2020. Se em março de 2020 seu resultado em day trade foi um prejuízo de R$50, e em abril você apurou um prejuízo de R$100 em da ytrade, a partir de agora você tem um prejuízo acumulado de R$150 em day trade e este valor poderá ser compensado de lucros futuros em day trade.

O prejuízo de swing trade pode ser um só, ou seja, pode deixar em um lugar só prejuízo de ações swing trade e de todos os outros ativos de swing trade. Já o prejuízo de day trade e FII’s mantenha separado.

A última coisa que precisamos verificar na apuração de lucro ou prejuízo é se você tem lucro isento. A isenção se aplica apenas para ações, e apenas na modalidade swing trade. 

Para ter direito à isenção, você deve ter vendido até R$20.000 desse mesmo ativo em um mesmo mês. Se você vendeu nesse mês de apuração mais de R$20.000 em ações no swing trade, já não tem mais direito à isenção. 

Portanto caso tenha apenas esse lucro isento, e nas outras partes não tem mais nada (no caso de você ter investido apenas em ações swing trade), está tudo certo e já pode parar por aqui. Seu resultado do mês foi lucro isento e não tem imposto a pagar.

Caso tenha qualquer lucro que não se encaixe na isenção acima, vamos para o próximo passo: compensar prejuízo! 

Compensação de prejuízos anteriores

A compensação de prejuízos é um recurso muito importante que os investidores têm a seu favor e deve sempre ser utilizado para que sua apuração mensal seja otimizada o máximo possível.

Para relembrar à vocês que já ouviram falar disso em algum momento, a Receita permite que os prejuízos adquiridos em meses anteriores sejam compensados de lucros futuros para diminuir o valor de impostos a pagar.

Quer um exemplo para ficar mais claro? Olha só:

Usaremos do exemplo que falamos no bloco anterior: no mês de março/2020 seu resultado em day trade foi um prejuízo de R$50 e em abril/2020 obteve outro prejuízo, desta vez de R$100. 

Neste caso você tem um prejuízo acumulado em day trade de R$150.

Digamos que em maio/2020 você faz ótimas operações e consiga R$1000 de lucro em day trade. Sabemos bem que lucros em day trade são tributados em 20%, ou seja, destes R$1000 você terá que pagar R$200 de impostos.

Porém graças à regra de compensação de prejuízo você poderá utilizar seu prejuízo anterior para compensar do seu lucro. Então você poderá pegar os R$1000 e abater aqueles R$150 de prejuízo anterior. 

Depois de compensar você precisará calcular os R$20% do imposto sobre R$850, que é seu lucro já com o prejuízo anterior compensado. Assim, invés de pagar R$200 de imposto neste mês, você pagará R$170. 

Lembra da parte de lucro/prejuízo que dividimos em quatro partes? Pois é, isso serve principalmente para fazermos a compensação, pois você só poderá compensar ativos do mesmo grupo, que são estes quatro grupos que separamos: 

  • ações com swing trade
  • swing trade demais operações (opções, ETF, mercado futuro)
  • day trade (pode colocar junto aqui todos os tipos de ativos, contanto que sejam day trade)
  • FII’s

Então já adiantando possíveis perguntas:

  • posso compensar meu prejuízo anterior de FII’s no meu lucro atual de ações?
  • este mês fiz day trade e tive lucro, e tenho um prejuízo acumulado em opções swing trade, pode compensar? 
  • ganhei dinheiro com ETF na modalidade swing trade este mês, e tenho um prejuízo acumulado em day trade de opções. Posso abater o prejuízo do lucro?

A resposta para todas estas perguntas é: não! 

Deve compensar apenas aqueles que são do mesmo grupo. Se tiver prejuízo em um grupo, e lucro no outro, segue o jogo e deixe o prejuízo lá quietinho, pois poderá ser compensado futuramente em que houver lucro naquela modalidade. 

Feito a compensação de prejuízos, vamos para as partes finais. 

Compensação de IRRF

A partir de agora você já chegou ao lucro final que precisará pagar imposto e pode aplicar a alíquota referente ao tipo de lucro que obteve.

Nesta parte existem apenas dois tipos de lucro em que serão aplicadas alíquotas diferentes:

  • Swing trade não isento;
  • Day trade/ FII’s;

Para lucros não isentos de swing trade a alíquota será de 15% sobre o lucro. Já para day trade e FII’s este valor é de 20% sobre o lucro.

Um exemplo prático para não ter dúvidas: se no mês de janeiro/2020 você obteve um lucro líquido de R$100 em swing trade e mais R$100 em day trade, totalizando um lucro total de R$200, seu imposto será respectivamente R$15 e R$20, totalizando R$35 de impostos neste mês. 

Antes de gerar o DARF para pagamento do imposto, é possível fazer uma última compensação: o IRRF pago no mês e o IRRF anterior acumulado.

Para quem ainda não conhece o IRRF, também conhecido de dedo-duro, falamos sobre ele aqui neste post

O IRRF, sigla para Imposto de Renda Retido na Fonte, será retido quando houver vendas maiores de R$20.000 no mês e, para day trade, será retido sempre que houver lucro. 

O investidor pode pedir sua restituição na declaração anual ou pode compensá-lo mensalmente quando houver imposto a pagar. Recomendamos este segundo uso do IRRF, pois ajuda na apuração mensal e permite um melhor controle deste valor. 

No post sobre IRRF falamos tudo sobre como calculá-lo e como funciona a retenção mensal deste valor, por isso não estenderemos muito por aqui, ok? Se houver dúvidas, pode dar uma conferida no nosso post. 

Novamente daremos mais um exemplo prático para ilustrar como funciona este passo. Vamos pegar o último exemplo mencionado. 

No mês de janeiro/2020 você chegou ao valor final de R$35 de imposto a pagar. Digamos que neste mês, devido à suas operações, foi retido um total de R$2,50 de IRRF e nos meses anteriores foi retido R$3 e você não utilizou este valor, e quer utilizá-lo agora. 

Você tem um total de R$5,50 de IRRF a compensar e poderá retirar este valor do seu imposto a pagar. 

A partir de agora seu imposto a pagar no mês será de R$29,50 e você já pode gerar o DARF para pagamento. 

Gerar e pagar DARF

O DARF, sigla para Documento de Arrecadação de Receitas Federais, é um documento que permite fazer o pagamento do seu imposto. 

Existem algumas formas de gerar este documento, dentre elas uma das mais conhecidas é o programa da Receita Federal conhecido como Sicalc Web. 

É uma opção gratuita e acessível e que pode te adiantar muito, porém está condicionado ao fato de você mesmo calcular todo seu imposto. O programa apenas gera o DARF.

Uma opção mais prática, mais confortável e com um preço totalmente acessível é a plataforma da Akeloo. Você terá apenas que importar suas notas de corretagem e a plataforma calculará para você. Simples assim!

Além de ter toda sua operação feita em segundos, a plataforma é feita para otimizar ao máximo seu resultado e não deixará nenhum valor de fora, garantindo que terá todos os descontos possíveis para seu lucro ser melhor e maior. 

Guia completo sobre tributação em investimentos

A plataforma também oferece dicas de investimento a fim de você otimizar a tributação mensal de seus ativos, além de contar com informações relevantes sobre suas operações cadastradas. 

E, claro, também tem um gerador de DARF com o valor final de imposto que foi calculado automaticamente. 

O pagamento do DARF pode ser feito tanto no internet banking dos principais bancos quanto em caixas eletrônicos. 

Depois de pagar seu imposto, está tudo certo e você precisará ficar atento apenas com a declaração anual, onde vai declarar este imposto pago e demais operações que fez na Bolsa. 

Se você não apurou no mês correto, ou viu que em um mês anterior você deveria ter pagado imposto e não pagou, acesse gratuitamente nossa planilha de Imposto de Renda em atraso:

Acessar Calculadora de Imposto em Atraso

Acesso gratuito. Não enviamos spam.

E não deixe de fazer o teste na plataforma Akeloo, é grátis!

Tem alguma dúvida ainda sobre como calcular imposto de renda mensal? Mande em nosso perfil no Instagram!

Compartilhe