logo-akeloo-nelogica
CALCULADORA DE IR
Início » Mercado Financeiro » Ativos permanentes ou ativos de longo prazo: entenda o que são

Ativos permanentes ou ativos de longo prazo: entenda o que são

Dinheiro em caixa, contas a receber, despesas antecipadas, estoques, e […]

Por Equipe Akeloo

Publicado em: 3/07/2022 às 8h57

Compartilhe

Ativos permanentes ou ativos de longo prazo: entenda o que são

Dinheiro em caixa, contas a receber, despesas antecipadas, estoques, e por ai vai. Como um investidor atento, você certamente está sempre de olho nos ativos e passivos das empresas de capital aberto que são discriminados anualmente em seus balanços patrimoniais. Somente assim você consegue operar nas direções corretas no mercado de ações. Mas e quando você se depara com “ativos permanentes” no balanço anual de uma companhia? O que isso, afinal de contas, quer dizer?

Quem acompanha nosso blog há algum tempo já sabe que, para conquistar retornos interessantes na Bolsa de Valores, o caminho não é simplesmente comprar e vender ações em seu Home Broker sem antes se embasar em estratégias e análises de mercado.

Todo investidor responsável tem em mãos os balancetes, balanços patrimoniais e/ou DREs das instituições nas quais ele pretende investir para visualizar se a empresa conta com boas perspectivas de crescimento. Para tanto, existem métodos como calcular o capital social da empresa a partir destes documentos, por exemplo.

Ao mensurar os ativos circulantes e permanentes do balanço contábil de uma companhia, o investidor está realizando, na prática, uma análise de mercado fundamentalista. Se, antes de começarmos a conversar de fato sobre os ativos permanentes, você quiser saber um pouco mais acerca dessa categoria de análise, a Akeloo já publicou um guia completo que te mostra tudo sobre o assunto. 

Agora, para que você saia deste texto sem nenhuma dúvida sobre o que são os ativos permanentes e como eles podem te ajudar a aplicar o seu dinheiro com mais segurança na Bolsa, nossa equipe preparou mais um artigo que vai te explicar:

  • O que são os ativos permanentes ou ativos de longo prazo;
  • Quais são os principais grupos de ativos permanentes que você pode encontrar nos balanços patrimoniais das empresas;
  • O que você deve ter em mente quando leva em consideração os ativos permanentes de uma companhia para decidir se investe ou não nas ações da empresa no mercado acionário.

Ativos permanentes: o que são?

Também conhecidos como ativos realizáveis de longo prazo, os ativos permanentes nada mais são do que o produto dos ativos e investimentos previstos para continuar sob a posse da empresa até, pelo menos, o fim do ano fiscal de lançamento do balanço patrimonial.

E aqui vai a nossa primeira dica: os ativos permanentes aparecem nos balanços anuais das empresas como “ativos não circulantes” — em razão da mudança no esqueleto do balanço patrimonial pela Lei 11.638/2007.

Ainda está difícil de entender? Então vamos partir do começo: “permanente” quer dizer “aquilo que permanece no tempo, que é duradouro e estável”.

Quando publica seu balanço anual, toda companhia deve indicar uma previsão dos ativos que serão movimentados e os que continuarão sob seu domínio pelos próximos 12 meses. No primeiro grupo, estão os ativos de movimentação financeira — como pagamentos, estoques, dinheiro em caixa, etc. —, chamados de ativos circulantes. Já no segundo grupo, por sua vez, se encontram os ativos permanentes.

Estes bens e valores, via de regra, são voltados para a manutenção das atividades e metas operacionais da própria empresa, sendo indispensáveis para seu funcionamento. 

Uma de suas características mais acentuadas — e que mais diferenciam os ativos circulantes dos ativos de longo prazo — é a baixa liquidez. Isto é, tratam-se de ativos mais difíceis de transformar em dinheiro de fato.

Outras características que marcam os ativos permanentes são:

  • Caráter usualmente permanente;
  • Não ser destinado à venda;
  • Ser utilizado na operação interna dos negócios.

Para facilitar o raciocínio, vamos a um exemplo imaginativo de ativo permanente: o prédio da empresa na qual você trabalha (para os trabalhadores de regime presencial).

Pense: quantas vezes, desde que você entrou, o escritório da empresa mudou de endereço? Você, decerto, ouviu poucas histórias de negócios que venderam seu imóvel de uma hora para a outra e passaram a atuar de outra sede.

Isso acontece porque o imóvel é um bem indispensável — sem ele, a empresa sofreria com enormes prejuízos, uma vez que seus funcionários ficariam sem lugar para trabalhar. Além do mais, o prédio corresponde a um bem que não faz parte das operações comerciais da companhia.

Por este motivo, o prédio da empresa integra a categoria dos ativos permanentes imobilizados.

Ativos permanentes: categorias

Os ativos permanentes de uma companhia podem ser elencados, sobretudo, em quatro categorias, sendo elas:

Imobilizados

São os bens da empresa com os quais trabalhamos em nosso exemplo — ou seja, todo ativo permanente e essencial para atividade básica do negócio.

De acordo com a Lei 12.973/2014 , um ativo imobilizado, para ser catalogado como tal, deve ter um valor de compra superior a R$ 1.200,00.

SÃO EXEMPLOS DE ATIVOS PERMANENTES IMOBILIZADOS… prédios, instalações, maquinário, veículos e móveis.

Intangíveis

Como o próprio nome sugere, os ativos permanentes intangíveis são bens que não podem ser tocados — isto é, que não existem fisicamente. 

Apesar disso, ainda assim eles podem sofrer amortização, , gerar receitas e conseguir outros benefícios financeiros e econômicos.

SÃO EXEMPLOS DE ATIVOS PERMANENTES INTANGÍVEIS… direitos autorais, patentes, capital intelectual, autorias, franquias e softwares.

Diferidos

São compostos pela execução de ações que tencionam trazer resultados em exercícios futuros, onde a empresa investe em si mesma baseada em um planejamento de longo prazo.

SÃO EXEMPLOS DE ATIVOS PERMANENTES DIFERIDOS… reorganização da empresa e gastos em pesquisa e desenvolvimento de produtos.

Investimentos

Neste caso em específico, os investimentos devem ser voltados para rendimentos futuros — com o objetivo de melhorar o relacionamento com fornecedores e/ou clientes ou para especulação sem prazo estipulado .

➔ SÃO EXEMPLOS DE ATIVOS PERMANENTES EM INVESTIMENTOS: ações, derivativos, moedas, ouro, commodities, obras de arte e participações societárias.

Existem ainda outros tipos de ativos realizáveis a longo prazo, como pagamentos que a empresa tem a receber com vencimento superior a um ano, a título de exemplo.

E como analisar os ativos permanentes?

Quem tem mais expertise no mercado financeiro sabe que, muitas das vezes, podemos nos ver diante de conceitos complexos e números com infinitos algarismos — mas que, no dia a dia dos investimentos, tudo se torna muito mais simples.

É assim também com a análise de ativos permanentes.

Ao mensurar os ativos permanentes de uma empresa em seu balancete, balanço patrimonial ou DRE, o investidor pode traçar a perspectiva do quanto de seu patrimônio a empresa está aplicando em si mesma.

Dado que não pretende que estes ativos saiam de sua posse no curto e médio prazo, a companhia pode estar expondo um planejamento para dar passos maiores em sua atuação no mercado.

Imagine o seguinte exemplo: você quer comprar alguns lotes de ações de uma empresa qualquer na Bolsa de Valores — no entanto, ainda não tem total confiança de que esses papéis vão se valorizar conforme você deseja.

Então, ao se debruçar no balanço contábil dessa empresa, você descobre que ela adquiriu 5 imóveis recentemente e lançou como “ativos não circulantes”.

Este movimento sugere que a companhia tem em vista uma ampliação de sua esfera de atuação — seja usando os imóveis para abrir novas filiais, seja usando como estoque ou garagem, o que, sem dúvidas, indica um aumento de demanda.

Esta publicação de novos ativos permanentes por parte da empresa — que, não se esqueça, você deve aliar a outros dados para dar robustez à sua análise — é um forte indicativo de saúde financeira e expansão do negócio.

Assim você sente mais segurança para comprar as ações da empresa, sem medo de ver o seu investimento derretendo.

Conclusão

Para navegar no mercado financeiro, você precisa ter as suas bússolas — e uma delas pode ser a linha de ativos permanentes no balanço patrimonial de uma empresa. Estas informações podem te dar direcionamentos valiosos acerca das perspectivas do negócio, sendo cruciais para a sua decisão de comprar ou não uma ação.

Apesar disso, os ativos permanentes são só mais um entre outros tantos assuntos que abrangem mercado financeiro e Imposto de Renda que tratamos no Blog da Akeloo. Quer continuar aprendendo cada vez mais e, dessa forma, se sentir mais seguro como investidor? Então confira mais conteúdos do nosso blog clicando aqui!

E, por falar em conteúdos, você já ouviu falar do nosso eBook com tudo sobre Imposto de Renda sobre investimentos? Se você aplica em renda fixa ou variável e ainda acaba se enrolando com as regras do IRPF, não perca tempo! Acesse aqui — o material é totalmente gratuito.

Receba nossos conteúdos diretamente em seu e-mail

Não se preocupe, não enviamos spam.

Compartilhe